website

Massagem pré-natal para preparo e trabalho de parto

Existem diversas práticas que podem ajudar no preparo e auxiliar o trabalho de parto, e uma delas é receber a massagem pré-natal. Veja agora todos detalhes desta técnica de massoterapia, todas as indicações e cuidados da prática de massagem em gestantes para preparo e trabalho de parto:

Massagem pré-natal para o parto

O que é trabalho de parto?

O trabalho de parto é o processo fisiológico pelo qual o corpo de uma mulher grávida se prepara para dar à luz seu bebê. É uma série de mudanças progressivas que ocorrem no sistema reprodutivo feminino, culminando na expulsão do feto e da placenta do útero para fora. Veja:

O que causa o inicio do trabalho de parto?

O início do trabalho de parto é um processo complexo. No entanto, geralmente, o início do trabalho de parto é desencadeado por uma combinação de fatores, hormônios e mudanças no corpo da mulher grávida. Alguns dos principais fatores que contribuem para o início do trabalho de parto incluem:

À medida que o feto se desenvolve, seus órgãos e sistemas amadurecem, incluindo os pulmões. Quando os pulmões do bebê estão prontos para funcionar fora do útero, eles começam a produzir uma substância chamada surfactante, que é essencial para a respiração. A maturação dos pulmões pode estimular a liberação de hormônios que desencadeiam o trabalho de parto.

O estresse ou desconforto do feto pode desencadear o início do trabalho de parto. Isso pode ocorrer devido à pressão exercida pelo crescimento do bebê no útero ou a outras razões não totalmente compreendidas.

O corpo da mulher grávida produz vários hormônios, como ocitocina e prostaglandinas, que desempenham um papel importante no trabalho de parto. A ocitocina é conhecida como o "hormônio do amor" e é responsável por estimular as contrações uterinas. As prostaglandinas amolecem o colo do útero e ajudam a iniciar o processo de dilatação.

À medida que o bebê cresce e se encaixa na pelve, ele pode exercer pressão sobre o colo do útero, o que pode levar à dilatação e ao início do trabalho de parto.

Como é um trabalho de parto?

 

Você sabe como é um trabalho de parto? Quais são os processos gerais deste acontecimento tão importante? Um trabalho de parto é um processo complexo que geralmente segue uma sequência de eventos específicos. Aqui está uma visão geral de como é um trabalho de parto típico:

O trabalho de parto muitas vezes começa com contrações irregulares e leves. O colo do útero começa a amolecer, afinar e dilatar gradualmente. Pode haver sintomas como a liberação do tampão mucoso e a ruptura da bolsa amniótica (quando a água se rompe). Este estágio pode durar várias horas ou até dias.

Em seguida as contrações uterinas tornam-se mais regulares, mais frequentes e mais intensas. O colo do útero continua a dilatar, permitindo que a cabeça do bebê desça pelo canal de parto. A mãe pode começar a sentir pressão na pelve e na parte inferior das costas. Este estágio pode durar várias horas, mas o progresso é mais rápido do que no estágio latente.

No estágio final o colo do útero está completamente dilatado (cerca de 10 centímetros) e a mãe começa a sentir um forte desejo de empurrar. A mãe faz esforço para empurrar o bebê através do canal de parto. A cabeça do bebê emerge primeiro, seguida pelo corpo. Este estágio pode durar de minutos a horas, dependendo das circunstâncias.

Durante todo o trabalho de parto, a mãe é monitorada de perto quanto à sua saúde e à do bebê. As contrações são registradas, e a frequência cardíaca fetal é monitorada para garantir que o bebê esteja tolerando bem o trabalho de parto. Os profissionais de saúde também estão atentos a qualquer complicação que possa surgir.

Quando vou entrar em trabalho de parto?

A data exata do início do trabalho de parto é difícil de prever com precisão, pois varia de mulher para mulher e de gravidez para gravidez. O início do trabalho de parto é influenciado por uma série de fatores. No entanto, existem alguns sinais gerais:

O sinal mais óbvio do início do trabalho de parto são as contrações uterinas regulares e persistentes. Essas contrações se tornam mais intensas e frequentes à medida que o trabalho de parto progride. As contrações de trabalho de parto geralmente são diferentes das contrações Braxton Hicks, que são mais irregulares e geralmente não dolorosas.

Durante as últimas semanas da gravidez, seu médico pode verificar o colo do útero para determinar se ele está dilatando (abrindo) e afinando (tornando-se mais fino). Essas mudanças são indicadores de que o trabalho de parto está se aproximando.

Algumas mulheres podem notar a liberação do tampão mucoso, uma secreção espessa e viscosa que pode ser tingida de sangue. Isso pode acontecer dias ou até mesmo semanas antes do início do trabalho de parto.

Quando a bolsa amniótica se rompe e ocorre a liberação de líquido amniótico, isso é chamado de "rompimento das águas". Nem sempre ocorre como nos filmes, com um grande derramamento de líquido; pode ser um gotejamento constante. O rompimento da bolsa pode acontecer antes ou durante o trabalho de parto.

Algumas mulheres podem sentir dor lombar ou pressão na área pélvica à medida que o bebê se move para baixo no canal de parto.

À medida que o trabalho de parto se aproxima, as contrações podem se tornar mais intensas e frequentes, e seu padrão pode mudar para um ritmo mais consistente.

Lembre-se de que cada gravidez é única, e nem todas as mulheres experimentarão todos esses sinais e sintomas. Se você acredita que está entrando em trabalho de parto ou tem dúvidas sobre os sinais que está experimentando, é importante entrar em contato com seu médico ou parteira para avaliação e orientação adequadas. Eles poderão fornecer orientações específicas com base em sua situação individual.

 

O que acontece com o corpo quando o trabalho de parto?

O trabalho de parto é um processo fisiológico complexo que envolve uma série de mudanças no corpo da mulher para permitir o nascimento do bebê. Aqui estão algumas das principais mudanças que ocorrem no corpo durante o trabalho de parto:

O trabalho de parto é caracterizado por contrações uterinas regulares e coordenadas. Essas contrações são responsáveis por empurrar o bebê através do canal de parto. À medida que o trabalho de parto avança, as contrações se tornam mais intensas, frequentes e regulares.

O colo do útero começa a dilatar (abrir) e afinar (tornar-se mais fino) à medida que o trabalho de parto progride. Isso permite que o bebê passe pelo colo do útero e entre no canal de parto.

O bebê desce mais profundamente na pelve à medida que o trabalho de parto avança. Isso é conhecido como encaixe do bebê e é frequentemente associado à sensação de pressão na área pélvica.

Algumas mulheres podem experimentar a liberação do tampão mucoso, uma secreção espessa e viscosa que bloqueia o colo do útero durante a gravidez. A liberação do tampão mucoso é muitas vezes um sinal de que o trabalho de parto está próximo.

Em alguns casos, a bolsa amniótica que envolve o bebê se rompe, resultando no rompimento das águas. Isso pode acontecer antes ou durante o trabalho de parto e é acompanhado pela liberação do líquido amniótico.

À medida que o bebê se move para baixo no canal de parto, muitas mulheres sentem pressão na região lombar e pélvica. Isso pode ser desconfortável e é uma parte normal do processo.

Durante o trabalho de parto, o corpo da mulher libera hormônios, como a ocitocina, que estimulam as contrações uterinas e promovem a progressão do trabalho de parto. Outros hormônios, como as endorfinas, podem ser liberados para ajudar a aliviar a dor e proporcionar uma sensação de bem-estar.

As contrações e a intensidade do trabalho de parto podem levar a um aumento temporário da frequência cardíaca e da pressão arterial da mulher.

Durante o trabalho de parto, muitas mulheres experimentam alterações na respiração, como respiração mais profunda e ritmo acelerado. Também podem ocorrer sudorese, calafrios e outras sensações fisiológicas.

À medida que o trabalho de parto progride e o colo do útero se dilata completamente, a mãe começa a sentir o desejo de empurrar, indicando o estágio de expulsão. Neste estágio, o bebê é empurrado para fora do útero e do canal de parto.

Quanto tempo dura o trabalho de parto?

A duração do trabalho de parto pode variar significativamente de mulher para mulher e de gravidez para gravidez. Não existe um tempo "normal" ou "padrão" para a duração do trabalho de parto, mas podemos fazer algumas generalizações sobre o tempo de duração do trabalho de parto:

O estágio latente, em que o colo do útero começa a dilatar e a mulher experimenta contrações irregulares e leves, geralmente dura várias horas. Em algumas mulheres, esse estágio pode durar até 24 horas ou mais, especialmente em primeiras gestações.

O estágio ativo, em que as contrações se tornam mais regulares e intensas, tende a ser mais curto. Geralmente, esse estágio dura entre 4 a 8 horas, mas pode variar.

O estágio de expulsão, quando o colo do útero está completamente dilatado e a mãe empurra o bebê pelo canal de parto, normalmente dura de alguns minutos a algumas horas. Em muitos casos, o nascimento ocorre dentro de 1 a 2 horas após o início deste estágio.

Lembre-se de que esses são tempos médios e que o trabalho de parto pode progredir mais rapidamente ou mais lentamente dependendo de diversos fatores, como a saúde da mãe, o posicionamento do bebê, a eficácia das contrações e a experiência anterior de parto da mulher. Além disso, cada gravidez é única, e o tempo de trabalho de parto pode variar amplamente.

Início do trabalho de parto. Como saber os sinais

O início do trabalho de parto pode ser diferente para cada mulher, mas existem sinais comuns que podem indicar que o trabalho de parto está começando. Aqui estão alguns dos sinais mais comuns sobre o início do trabalho de parto, a serem observados:

Como identificar as contrações de início de trabalho de parto?

Identificar as contrações de início de trabalho de parto pode ser fundamental para saber quando é o momento certo de procurar atendimento médico ou de ir para o hospital. Aqui estão algumas características que podem ajudá-la a reconhecer as contrações de início de trabalho de parto:

As contrações de trabalho de parto geralmente têm uma regularidade, ou seja, ocorrem a intervalos consistentes. Você pode cronometrar o tempo entre o início de uma contração e o início da próxima. À medida que o trabalho de parto progride, esses intervalos ficam mais curtos e as contrações mais frequentes.

As contrações de trabalho de parto costumam ser mais longas do que as contrações de Braxton Hicks (contrações de treinamento). No início do trabalho de parto, as contrações podem durar cerca de 30 a 45 segundos. Conforme o trabalho de parto avança, elas tendem a se tornar mais longas, durando de 45 segundos a 60 segundos ou mais.

As contrações de trabalho de parto são progressivamente mais intensas à medida que o trabalho de parto avança. A intensidade é geralmente descrita como uma sensação de aperto ou pressão, e você pode sentir dor no abdômen inferior.

Um sinal de trabalho de parto é que as contrações geralmente se tornam mais frequentes e mais intensas com o tempo. À medida que você avança para o trabalho de parto ativo, as contrações se tornam mais regulares e intensas em um padrão crescente.

Muitas mulheres relatam sentir dor lombar durante as contrações de trabalho de parto. Esta dor pode ser uma sensação de pressão nas costas ou uma dor mais intensa.

As contrações de trabalho de parto geralmente não aliviam com a mudança de posição ou repouso, ao contrário das contrações de Braxton Hicks, que podem diminuir com a mudança de posição ou a hidratação.

Com o tempo, as contrações de trabalho de parto devem mostrar uma progressão consistente, tanto em termos de regularidade quanto de intensidade. Você notará que as contrações estão ficando mais fortes e mais próximas.

Contrações de Braxton Hicks? O que são e como identificar?

As contrações de Braxton Hicks, também conhecidas como contrações de treinamento, são contrações uterinas que ocorrem durante a gravidez, mas não são indicativas de que o trabalho de parto tenha começado. Aqui estão algumas características das contrações de Braxton Hicks e como identificá-las:

As contrações de Braxton Hicks são geralmente irregulares em termos de frequência e intensidade. Elas podem ocorrer em intervalos irregulares e não seguem um padrão consistente.

As contrações de Braxton Hicks tendem a ser mais curtas em duração do que as contrações de trabalho de parto real. Elas podem durar cerca de 30 segundos a 1 minuto.

Embora possam ser desconfortáveis, as contrações de Braxton Hicks geralmente não são tão dolorosas quanto as contrações de trabalho de parto. Muitas vezes, são descritas como uma sensação de aperto ou pressão no abdômen.

As contrações de Braxton Hicks podem diminuir ou desaparecer quando você muda de posição, repousa ou se hidrata. Às vezes, atividades físicas ou movimentos podem desencadear essas contrações.

Durante as contrações de Braxton Hicks, o colo do útero geralmente não se dilata ou dilata apenas ligeiramente. Isso é uma diferença fundamental em relação às contrações de trabalho de parto, que resultam na dilatação progressiva do colo do útero.

Como saber se a bolsa estourou para o início de trabalho de parto?

O rompimento da bolsa amniótica é um dos sinais mais distintos de que o trabalho de parto está começando ou progredindo. Quando a bolsa amniótica se rompe, ocorre a liberação desse líquido. Aqui estão algumas maneiras de saber se a bolsa amniótica estourou:

A maneira mais óbvia de identificar o rompimento da bolsa amniótica é a liberação de líquido claro e incolor pela vagina. Esse líquido é conhecido como líquido amniótico e geralmente não tem odor. Pode ser uma quantidade pequena ou uma quantidade significativa, dependendo de quão completamente a bolsa se rompeu.

Algumas mulheres relatam sentir uma sensação de "estouro" quando a bolsa amniótica se rompe. Isso pode ser acompanhado ou seguido pela liberação do líquido amniótico.

O rompimento da bolsa amniótica pode ocorrer antes, durante ou após o início das contrações de trabalho de parto. Se o rompimento da bolsa ocorrer antes do início das contrações, ele é chamado de "rompimento das águas". Se ocorrer durante as contrações, pode ser mais difícil de identificar devido à presença de outras sensações.

O líquido amniótico deve ser claro e incolor, mas em alguns casos, pode conter traços de sangue, o que é normal. No entanto, se o líquido estiver esverdeado ou tiver uma cor anormal, isso pode ser um sinal de que o bebê evacuou no útero e é necessário procurar atendimento médico imediatamente.

Algumas mulheres descrevem uma sensação contínua de vazamento de líquido após o rompimento da bolsa, como se estivessem urinando involuntariamente.

Dor na lombar é sinal de início de trabalho de parto?

A dor lombar pode ser um sintoma comum durante o trabalho de parto, mas não é necessariamente um sinal definitivo de que o trabalho de parto está começando. Aqui estão algumas considerações sobre a dor lombar no contexto do trabalho de parto:

As contrações uterinas tornam-se mais intensas e frequentes. Essas contrações podem causar dor ou desconforto no abdômen inferior, que pode irradiar para a região lombar. A dor lombar relacionada às contrações é geralmente uma sensação de pressão ou aperto.

A posição do bebê no útero pode afetar a maneira como você sente a dor lombar durante o trabalho de parto. Se o bebê estiver posicionado de forma que exerça pressão adicional na região lombar, isso pode aumentar a sensação de dor nessa área.

Algumas mulheres podem experimentar dor lombar isolada sem contrações uterinas durante a gravidez ou no início do trabalho de parto. Isso pode ser devido a fatores como tensão muscular, postura inadequada ou problemas nas costas não relacionados ao trabalho de parto.

A dor lombar relacionada ao trabalho de parto muitas vezes ocorre à medida que o colo do útero se dilata e o bebê se move para baixo no canal de parto. Essa dor tende a ser uma característica do trabalho de parto ativo e do estágio de expulsão.

O tampão mucoso saiu. Estou começando trabalho de parto?

A liberação do tampão mucoso é um sinal de que o corpo está se preparando para o trabalho de parto, mas não necessariamente indica que o trabalho de parto começou imediatamente. Entenda melhor o que acontece quando o tampão mucoso sai:

O tampão é uma secreção que bloqueia o colo do útero durante a gravidez para protegê-lo. Quando o corpo se prepara para o trabalho de parto, o tampão mucoso pode ser liberado. A cor dele pode variar de claro a levemente rosado ou marrom devido a pequenos traços de sangue.

A liberação do tampão mucoso pode ocorrer dias, semanas ou mesmo horas antes do início do trabalho de parto real. Não é um sinal definitivo de que o trabalho de parto está imediatamente começando, mas é uma indicação de que seu corpo está passando por mudanças e se preparando para o parto.

Dilatação do colo do útero é sinal de trabalho de parto?

Sim, a dilatação do colo do útero é um sinal de que o trabalho de parto está em andamento. A dilatação do colo do útero é um dos principais marcadores do progresso do trabalho de parto. Entenda mais sobre a dilatação no trabalho de parto:

A dilatação é medida em centímetros e é indicada como "x centímetros dilatados". Quando o colo do útero está completamente dilatado a cerca de 10 centímetros, isso significa que o bebê está pronto para ser empurrado e o estágio de expulsão começa.

A progressão da dilatação do colo do útero é um dos principais indicadores de que o trabalho de parto está avançando. No entanto, vale a pena notar que a dilatação do colo do útero pode ocorrer em diferentes estágios do trabalho de parto e em ritmos diferentes para cada mulher. Em alguns casos, o colo do útero pode começar a se dilatar antes que a mãe sinta contrações fortes e regulares, enquanto em outros casos, a dilatação pode ocorrer em conjunto com as contrações mais intensas.

Diarreia é sinal de trabalho de parto?

Será que ter diarreia seria sinal de trabalho de parto? A diarreia pode, em alguns casos, ser um sinal de trabalho de parto iminente. No entanto, a diarreia por si só não é um sinal definitivo de trabalho de parto. Entenda melhor sobre este sintoma abaixo:

Durante o trabalho de parto, o corpo passa por várias mudanças hormonais e físicas, e uma delas pode ser o aumento da motilidade intestinal, levando a movimentos intestinais frequentes ou diarreia em algumas mulheres. 

Trabalho de parto real ou falso? Como saber?

Diferenciar entre o trabalho de parto real e as contrações de Braxton Hicks (falso trabalho de parto) pode ser desafiador, especialmente para mulheres que estão prestes a dar à luz pela primeira vez. Aqui estão algumas maneiras de ajudar a distinguir entre os dois:

No trabalho de parto real, as contrações uterinas geralmente são regulares e ocorrem em intervalos consistentes. Com o tempo, esses intervalos podem diminuir à medida que as contrações se tornam mais frequentes.

As contrações de trabalho de parto real tendem a aumentar em duração e intensidade à medida que o trabalho de parto progride. Elas são frequentemente descritas como dolorosas e podem durar de 45 segundos a 60 segundos ou mais.

No trabalho de parto real, o colo do útero geralmente se dilata progressivamente. O médico ou parteira pode verificar a dilatação cervical durante o exame para avaliar o progresso do trabalho de parto.

Além das contrações regulares e dolorosas, outros sinais do trabalho de parto real podem incluir liberação do tampão mucoso, rompimento da bolsa amniótica, dor lombar, aumento da pressão na pelve e sensação de desejo de empurrar.

As contrações de Braxton Hicks, que acontecem no "falso trabalho de parto" tendem a ser irregulares em termos de frequência e intensidade. Elas podem ocorrer em intervalos irregulares e não seguem um padrão consistente.

As contrações de Braxton Hicks são geralmente mais curtas em duração do que as contrações de trabalho de parto real. Elas podem durar cerca de 30 segundos a 1 minuto.

As contrações de Braxton Hicks podem diminuir ou desaparecer quando você muda de posição, repousa ou se hidrata. Às vezes, atividades físicas ou movimentos podem desencadear essas contrações.

As contrações de Braxton Hicks geralmente não resultam em dilatação significativa do colo do útero.

Contrações de treinamento. O que é e como saber?

As contrações de treinamento, também conhecidas como contrações de Braxton Hicks, são contrações uterinas que ocorrem durante a gravidez antes do trabalho de parto real. Aqui estão algumas características das contrações de treinamento e como saber se você está experimentando-as:

As contrações de Braxton Hicks tendem a ser irregulares em termos de frequência e intensidade. Elas podem ocorrer em intervalos irregulares e não seguem um padrão consistente. Por exemplo, você pode sentir uma contração de Braxton Hicks e depois não sentir outra por algum tempo.

Geralmente, as contrações de Braxton Hicks são mais curtas em duração do que as contrações de trabalho de parto real. Elas podem durar cerca de 30 segundos a 1 minuto.

As contrações de Braxton Hicks podem diminuir ou desaparecer quando você muda de posição, repousa, se hidrata ou realiza outras atividades. Por exemplo, se você estiver em movimento e sentir contrações, parar e descansar pode fazer com que elas diminuam ou cessem.

As contrações de Braxton Hicks são frequentemente descritas como uma sensação de aperto ou pressão no abdômen, mas geralmente não são tão dolorosas quanto as contrações de trabalho de parto real.

Ao contrário das contrações de trabalho de parto real, as contrações de Braxton Hicks geralmente não resultam em dilatação significativa do colo do útero.

O que fazer para ajudar a entrar em trabalho de parto?

É importante lembrar que o início do trabalho de parto é um processo natural que não pode ser apressado, a menos que seja recomendado por um profissional. No entanto, existem algumas medidas que podem ajudar o trabalho de parto a progredir quando o corpo estiver pronto:

Aqui estão algumas dicas que podem ser consideradas para ajudar a facilitar o início do trabalho de parto:

Ficar ativa durante a gravidez pode ajudar a fortalecer os músculos e a preparar o corpo para o trabalho de parto. Caminhar, nadar, praticar ioga suave ou fazer exercícios aprovados pelo seu médico podem ser benéficos.

A estimulação dos mamilos pode liberar ocitocina, um hormônio que desencadeia as contrações uterinas. Isso pode ser feito com massagens suaves nos mamilos ou com uso de uma bomba de amamentação. No entanto, essa técnica deve ser usada com cautela e apenas sob orientação médica, pois pode ser intensa e não é adequada para todas as gestantes.

Algumas mulheres relatam que as relações sexuais podem desencadear o trabalho de parto. O sêmen contém ocitocina, que pode ajudar a estimular as contrações. No entanto, isso deve ser discutido com seu médico, especialmente se houver complicações na gravidez.

Alguns praticantes de acupressão e reflexologia acreditam que certos pontos no corpo podem estimular o início do trabalho de parto. Consulte um profissional treinado em acupressão ou reflexologia para obter orientações específicas.

Manter uma dieta saudável e estar bem hidratada é importante durante a gravidez. Comer alimentos ricos em fibras e manter-se hidratada pode ajudar a evitar a constipação, que pode ser desconfortável no trabalho de parto.

Reduzir o estresse e promover o relaxamento pode ser benéfico. Práticas como meditação, respiração profunda, massagem e banhos quentes podem ajudar a aliviar a tensão.

Sempre discuta seus desejos e preocupações com seu médico ou parteira antes de tentar qualquer medida para induzir o trabalho de parto. Eles podem avaliar sua situação individual e fornecer orientações apropriadas.

Quando é hora de ir para a maternidade e ligar para médico?

A decisão de ir para a maternidade e entrar em contato com seu médico ou parteira durante o trabalho de parto depende de vários fatores. No entanto, aqui estão algumas diretrizes gerais que podem ajudá-la a determinar quando é hora de ir para a maternidade:

Se você estiver tendo contrações regulares, geralmente a cada 5 minutos ou menos, que duram cerca de 60 segundos ou mais, e esse padrão persistir por uma hora ou mais, é um sinal de que você deve ir para a maternidade. Lembre-se de que essas são diretrizes gerais, e o seu médico ou parteira pode ter orientações específicas para você.

Se a sua bolsa amniótica se romper e houver liberação de líquido amniótico, é uma razão para ir imediatamente para a maternidade. Anote a cor e a quantidade do líquido, pois isso pode ser importante para avaliar a saúde do bebê.

Se você tiver sangramento vaginal significativo durante a gravidez ou durante o trabalho de parto, isso também é uma razão para ir à maternidade.

Se a dor se tornar muito intensa, contínua e progressiva, especialmente se estiver acompanhada de outros sinais de trabalho de parto, pode ser hora de ir à maternidade.

Se você notar uma diminuição significativa nos movimentos do bebê ou sentir que algo não está certo com a atividade fetal, entre em contato com seu médico ou vá à maternidade imediatamente.

Principais estágios do trabalho de parto. Conheça as fases

O trabalho de parto é dividido em três principais estágios, cada um com características específicas. Aqui estão as fases do trabalho de parto: fase latente, ativa, fase de expulsão...entenda mais sobre todos estágios do trabalho de parto e conheça mais afundo todas suas fases:

Dilatação, primeiro estágio do trabalho de parto. Como saber?

O primeiro estágio do trabalho de parto é o estágio de dilatação, no qual o colo do útero começa a se abrir e a afinar para permitir que o bebê passe pelo canal de parto. Para saber se você está nesse estágio, você pode observar os seguintes sinais:

A principal característica do primeiro estágio é a presença de contrações uterinas regulares e progressivas. As contrações se tornam mais fortes, mais frequentes e mais regulares à medida que o colo do útero se dilata. No início, as contrações podem ser irregulares e não muito dolorosas, mas com o tempo elas se tornam mais rítmicas e intensas.

À medida que o trabalho de parto progride, você pode sentir dor ou desconforto na parte inferior do abdômen. Essa dor é frequentemente descrita como uma sensação de aperto, pressão ou cólica.

Geralmente, seu médico ou parteira recomendará que você vá para a maternidade quando as contrações estejam ocorrendo em um padrão regular, com intervalos de cerca de 5 minutos entre elas, e cada contração dure cerca de 60 segundos ou mais. No entanto, isso pode variar de acordo com a orientação do seu profissional de saúde.

A única maneira definitiva de saber que você está no primeiro estágio do trabalho de parto é por meio da avaliação médica. Seu médico ou parteira fará um exame vaginal para verificar o grau de dilatação do colo do útero. O colo do útero está completamente dilatado a 10 centímetros no final deste estágio.

Além das contrações e da dor abdominal, você pode experimentar outros sinais, como dor lombar, aumento da pressão na pelve, sensação de desejo de empurrar ou liberação do tampão mucoso (uma secreção espessa que bloqueia o colo do útero).

Fase inicial ou latente do trabalho de parto

A fase inicial ou latente do trabalho de parto é a primeira parte da primeira fase do trabalho de parto. Esta fase é caracterizada pelo início das contrações e pelo início da dilatação e afinamento do colo do útero. Aqui estão características da fase inicial do trabalho parto:

No início da fase latente, as contrações uterinas podem ser irregulares e espaçadas, ocorrendo a cada 5 a 30 minutos. Elas podem ser leves e não muito dolorosas.

Durante esta fase, o colo do útero começa a se abrir (dilatar) e a afinar (apagar). O progresso pode ser lento no início. O médico ou parteira pode avaliar a dilatação do colo do útero por meio de exames vaginais.

Você pode notar mudanças em seu corpo, como a liberação do tampão mucoso (uma secreção espessa que bloqueia o colo do útero) ou uma sensação de pressão no baixo ventre.

Algumas mulheres na fase latente podem se sentir emocionalmente excitadas ou ansiosas à medida que o trabalho de parto começa. Isso é normal.

Durante esta fase, é geralmente recomendado que você descanse, mantenha-se hidratada, faça refeições leves e tente relaxar. Você pode fazer atividades leves em casa, como tomar um banho quente, praticar técnicas de respiração e meditação, e tentar encontrar posições confortáveis para se movimentar.

Se você acredita estar na fase inicial do trabalho de parto, é importante monitorar a frequência e a intensidade das contrações. Você pode usar um cronômetro para acompanhar os intervalos entre as contrações.

A duração da fase latente do trabalho de parto pode variar de mulher para mulher. Para algumas, pode durar algumas horas, enquanto para outras pode durar mais tempo, até mesmo um dia ou mais. Quando as contrações se tornam regulares, mais fortes e mais frequentes, e o colo do útero está dilatado a cerca de 3-4 centímetros, você geralmente passa da fase latente para a fase ativa do trabalho de parto.

Fase ativa do trabalho de parto

A fase ativa do trabalho de parto é a segunda parte da primeira fase do trabalho de parto e segue a fase inicial ou latente. Nesta fase, o trabalho de parto se intensifica. Aqui estão algumas características da fase ativa do trabalho de parto:

Durante a fase ativa, as contrações uterinas se tornam regulares, mais fortes e mais frequentes. Elas ocorrem a cada 3 a 5 minutos, e cada contração dura cerca de 45 segundos a 1 minuto ou mais. A intensidade da dor aumenta à medida que o trabalho de parto progride.

O colo do útero continua a se dilatar nesta fase, passando de cerca de 4-7 centímetros para a dilatação completa de 10 centímetros. A dilatação do colo do útero é monitorada pelo médico ou parteira através de exames vaginais regulares.

A dor durante as contrações pode ser intensa e é frequentemente descrita como uma sensação de aperto, pressão ou cólica abdominal. É importante usar técnicas de alívio da dor, como a respiração profunda, mudança de posição e massagem, para ajudar a lidar com a dor.

Comparada à fase latente, a fase ativa geralmente progride mais rapidamente. Você pode esperar que o trabalho de parto se intensifique e acelere à medida que a dilatação avança.

Durante a fase ativa, você pode sentir uma sensação de pressão no baixo ventre, aumento da necessidade de esvaziar a bexiga e, possivelmente, sensação de desejo de empurrar.

Durante a fase ativa, você será monitorada de perto pelos profissionais de saúde para garantir a saúde da mãe e do bebê. Os batimentos cardíacos do bebê são monitorados e o progresso da dilatação é acompanhado.

À medida que você se aproxima da dilatação completa, seu corpo se prepara para a fase de expulsão, quando você começará a empurrar o bebê pelo canal de parto.

Expulsão, segundo estágio do trabalho de parto. O que acontece?

O segundo estágio do trabalho de parto é chamado de estágio de expulsão. Nesta fase, o colo do útero já está completamente dilatado a 10 centímetros, e o objetivo é empurrar o bebê para fora do útero e através do canal de parto. Aqui estão os principais acontecimentos do estágio de expulsão:

Durante esta fase, a mãe faz esforços ativos para empurrar o bebê para fora. Isso é feito em coordenação com as contrações uterinas. À medida que a mãe empurra, o bebê desce pelo canal de parto.

As contrações uterinas durante o estágio de expulsão são frequentemente mais intensas e frequentes do que nas fases anteriores do trabalho de parto. Elas ajudam a mover o bebê pelo canal de parto e fornecem a força necessária para o parto.

Os batimentos cardíacos do bebê são monitorados continuamente durante o estágio de expulsão para garantir que o bebê esteja bem.

A equipe de saúde, que pode incluir um médico, parteira e enfermeiros, fornece orientação e apoio à mãe durante o processo de empurrar. Eles podem incentivar técnicas de respiração adequadas e orientar a mãe sobre como empurrar de maneira eficaz.

Entre as contrações de expulsão, a mãe tem a oportunidade de descansar. Isso permite que ela recupere a energia para a próxima contração.

A progressão do estágio de expulsão pode variar de mulher para mulher. Algumas mulheres podem dar à luz em poucos minutos, enquanto outras podem levar mais tempo. A posição do bebê, a experiência da mãe e outros fatores podem afetar a duração deste estágio.

À medida que o bebê se move pelo canal de parto, a cabeça do bebê é a primeira a aparecer. Isso é frequentemente chamado de "coroação". A equipe de saúde auxilia cuidadosamente o nascimento da cabeça.

Após o nascimento da cabeça, o restante do corpo do bebê segue rapidamente. O bebê é então entregue nos braços da mãe ou colocado em seu peito logo após o nascimento.

O cordão umbilical é cortado após o nascimento do bebê, geralmente depois que ele para de pulsar.

O bebê é avaliado rapidamente quanto à respiração, frequência cardíaca e outros sinais vitais após o nascimento. Qualquer assistência necessária será fornecida imediatamente.

Após o nascimento do bebê, a placenta é expulsa em uma fase chamada de terceira fase do trabalho de parto.

Dequitação, terceiro estágio do trabalho de parto. O que é?

A dequitação refere-se ao terceiro estágio do trabalho de parto, que envolve a expulsão da placenta e das membranas ovulares após o nascimento do bebê. Aqui estão os detalhes do terceiro estágio do trabalho de parto, também chamado de fase de dequitação durante o parto:

Após o nascimento do bebê, a placenta (ou "secundina") e as membranas ovulares que envolviam o bebê ainda estão dentro do útero. Durante a dequitação, essas estruturas são expulsas do corpo da mãe.

O terceiro estágio do trabalho de parto pode variar em duração. Em muitos casos, a placenta e as membranas são expulsas dentro de 30 minutos a uma hora após o nascimento do bebê, mas pode levar mais tempo para algumas mulheres.

A dequitação geralmente é acompanhada por sinais de que a placenta está se separando do útero, como uma sensação de pressão ou contrações uterinas suaves. A mãe pode sentir que algo está saindo.

A equipe de saúde (médico, parteira ou enfermeiro) monitora a mãe durante a dequitação e pode ajudar a facilitar a expulsão da placenta, aplicando pressão suave no abdômen ou pedindo à mãe que faça esforços leves para empurrar a placenta para fora.

Após a expulsão da placenta, a equipe de saúde verifica sua integridade para garantir que nenhum pedaço tenha ficado para trás no útero, o que pode levar a complicações.

Após a expulsão da placenta e a verificação de sua integridade, o cordão umbilical é normalmente cortado.

Após a dequitação, a mãe e o bebê são monitorados para garantir que ambos estejam em boas condições. Isso inclui a verificação da frequência cardíaca da mãe, da pressão arterial e da condição do útero.

O terceiro estágio do trabalho de parto é importante para evitar complicações, como hemorragia pós-parto, que pode ocorrer se a placenta não for adequadamente expulsa. Portanto, é crucial que a equipe de saúde preste atenção a esse estágio e tome as medidas necessárias para garantir que a dequitação ocorra de maneira adequada e segura.

Principais tipos de parto. Saiba quais são

Existem vários tipos de parto, e a escolha do método de parto pode depender de vários fatores, incluindo a saúde da mãe, a saúde do bebê e as preferências pessoais. Aqui estão os principais tipos de parto: parto normal, natural, por cesárea...veja detalhes de cada um abaixo.

Parto Vaginal, o parto normal. O Que é?

O parto vaginal, também conhecido como parto normal, é o método de dar à luz um bebê através da vagina. Durante o parto vaginal, o bebê passa pelo colo do útero dilatado e pela vagina da mãe. Aqui estão alguns detalhes:

Durante o parto vaginal, a mãe faz esforços ativos para empurrar o bebê através do canal de parto. Ela é orientada a empurrar quando sentir a necessidade e a força das contrações.

Durante o trabalho de parto, a equipe médica monitora a saúde da mãe e do bebê, verificando os batimentos cardíacos do bebê e a progressão do trabalho de parto. Isso ajuda a garantir um parto seguro.

A dor durante o trabalho de parto pode ser intensa, e as mulheres podem usar várias técnicas de alívio da dor, como respiração profunda, massagem, banhos quentes, posicionamento adequado e, em alguns casos, anestesia epidural, que é administrada pelo anestesista para aliviar a dor.

Uma vez que o bebê passa pelo canal de parto, ele é entregue, e o cordão umbilical é cortado. O bebê é então colocado nos braços da mãe ou no peito para o contato imediato pele a pele.

Após o nascimento do bebê, a placenta é normalmente expulsa em um estágio chamado de terceira fase do trabalho de parto.

Parto Natural. Como é?

"Parto natural" é frequentemente usado como um termo alternativo para "parto vaginal normal". É importante esclarecer que, na medicina, o termo "parto natural" é muitas vezes usado para se referir a um parto sem intervenções médicas ou medicamentos para alívio da dor. Entenda:

O parto natural é como o parto normal, enfatizando um enfoque mais natural e menos medicalizado do processo de nascimento.

Durante o parto natural, a mãe faz esforços para empurrar o bebê através do canal vaginal, até o bebê sair de forma natural, sem interferências externas.

Método Leboyer de parto natural. Como funciona?

O Método Leboyer é um abordagem humanizada ao parto que enfatiza o bem-estar físico e emocional da mãe e também do bebê durante e após o nascimento. Aqui estão os principais princípios e elementos do Método Leboyer de parto natural, o parto normal:

Este método foi desenvolvido pelo obstetra francês Frederick Leboyer na década de 1970 e tem como objetivo tornar o nascimento uma experiência mais suave e menos estressante para o recém-nascido.

Durante o parto, é criado um ambiente tranquilo e silencioso para minimizar o estresse do bebê. As luzes são suavizadas, e o uso de instrumentos médicos barulhentos é evitado quando possível.

O Método Leboyer frequentemente envolve o parto na água, em uma piscina especial para parto. A água morna proporciona um ambiente relaxante e suave para o bebê, que estava flutuando no líquido amniótico no útero da mãe.

Após o nascimento da cabeça do bebê, o obstetra permite que o corpo do bebê seja entregue de forma mais suave e gradual, em vez de puxá-lo rapidamente. Isso é feito para minimizar o estresse do bebê e permitir que ele faça a transição para o mundo exterior de maneira mais suave.

Logo após o nascimento, o bebê é colocado imediatamente na barriga nua da mãe para o contato pele a pele. Isso promove o apego precoce, ajuda a regular a temperatura do bebê e permite que o bebê sinta o calor e o batimento cardíaco da mãe.

O bebê é então submetido a uma massagem suave com óleos naturais para estimular a circulação e promover uma sensação de relaxamento.

No Método Leboyer, o corte do cordão umbilical é adiado até que ele pare de pulsar, o que permite que o bebê receba mais sangue e nutrientes da placenta após o nascimento.

Após a massagem, o bebê é submerso em um banho morno e suave, o que pode ajudar a acalmar o bebê e proporcionar uma experiência relaxante.

Parto Humanizado. Como é?

O parto humanizado é uma abordagem ao parto que coloca um foco central na experiência e no bem-estar emocional, físico e psicológico da mãe e também do bebê. Aqui estão alguns dos principais princípios e elementos presentes no trabalho de parto humanizado:

No parto humanizado, a mulher é encorajada a ser informada e ativa em suas decisões relacionadas ao parto. Ela é vista como a principal tomadora de decisões e é respeitada em suas escolhas.

O ambiente de parto é projetado para ser acolhedor e tranquilo. Isso pode incluir iluminação suave, música suave e a possibilidade de usar roupas confortáveis em vez de roupas hospitalares.

Muitas vezes, a mulher pode escolher ter um apoio constante durante o trabalho de parto, seja um parceiro, doula ou familiar. Esse apoio pode fornecer suporte emocional e físico à mãe.

O parto humanizado busca minimizar intervenções médicas desnecessárias, como indução do trabalho de parto, uso de medicamentos para alívio da dor e monitoramento contínuo dos batimentos cardíacos do bebê.

O parto humanizado reconhece que o trabalho de parto é um processo que ocorre em seu próprio tempo. Não há pressa para acelerar o parto, a menos que haja preocupações médicas.

Técnicas naturais de alívio da dor são incentivadas, como massagem, banhos de água morna, movimentação e técnicas de respiração.

Logo após o nascimento, o bebê é colocado imediatamente na barriga nua da mãe para o contato pele a pele. Isso promove o apego precoce e ajuda a regular a temperatura do bebê.

O parto humanizado promove a amamentação precoce, ajudando a mãe a iniciar a amamentação o mais rápido possível após o nascimento do bebê.

A mulher é encorajada a escolher a posição de parto que lhe seja mais confortável, seja deitada, em pé, ajoelhada ou em outra posição.

A privacidade da mulher durante o trabalho de parto é respeitada, e o número de pessoas no ambiente de parto é limitado de acordo com as preferências da mãe.

Parto na água. Como funciona?

O parto na água é um método de parto em que a mãe dá à luz na água, geralmente em uma piscina de parto especialmente projetada para esse fim. Aqui estão os principais aspectos de como funciona o parto na água:

Antes do parto na água, a piscina de parto é preparada com água morna e limpa, mantendo uma temperatura confortável para a mãe e o bebê.

A mãe é monitorada de perto por uma equipe de saúde durante o trabalho de parto, incluindo o monitoramento dos batimentos cardíacos do bebê e a progressão do trabalho de parto.

Quando a mãe está pronta para entrar na piscina de parto, ela é auxiliada pela equipe médica ou por seu acompanhante. Ela pode entrar na água a qualquer momento durante o trabalho de parto, seja na fase inicial ou ativa.

A mãe experimenta as contrações uterinas e o trabalho de parto na água. A água morna pode ajudar a aliviar a dor e a tensão muscular, proporcionando um ambiente relaxante.

A mãe tem a liberdade de se movimentar e adotar diferentes posições dentro da piscina de parto para encontrar a posição mais confortável para o trabalho de parto e o nascimento.

Quando a mãe está pronta para empurrar e dar à luz, ela faz isso na água. O bebê é então entregue diretamente na água.

Após o nascimento, o bebê é imediatamente colocado na barriga nua da mãe para o contato pele a pele na água. Isso promove o apego precoce e ajuda a regular a temperatura do bebê.

O cordão umbilical é cortado quando apropriado, geralmente após o bebê ter se acalmado e começado a respirar por conta própria.

Mãe e bebê podem permanecer na água por um período de tempo após o nascimento, se desejarem.

Após o parto na água, a mãe e o bebê recebem cuidados pós-parto adequados, incluindo verificações de saúde e apoio na amamentação, se desejado.

Parto de cócoras. Como é?

O parto de cócoras é um método de parto em que a mulher dá à luz em uma posição agachada, em vez da posição tradicional deitada de costas na maca. Aqui estão os principais aspectos de como funciona o parto de cócoras:

A mulher é apoiada por uma equipe de saúde treinada, que pode incluir parteiras, enfermeiras ou obstetras. É importante garantir que a posição de cócoras seja segura e adequada para a mãe e o bebê.

A mãe pode escolher a posição de cócoras que seja mais confortável para ela. Isso pode envolver ficar de pé, agachar-se apoiada em um objeto, usar uma barra de apoio ou até mesmo ajoelhar-se em uma piscina de parto.

O monitoramento dos batimentos cardíacos do bebê e a progressão do trabalho de parto são realizados regularmente para garantir a segurança do bebê.

A mulher experimenta as contrações e faz os esforços de empurrar na posição de cócoras. Ela pode apoiar-se nas pernas ou em objetos firmes para ajudar no equilíbrio.

Quando o bebê está prestes a nascer, a mãe continua na posição de cócoras. O bebê é entregue na posição agachada e é colocado imediatamente na barriga nua da mãe para o contato pele a pele.

O cordão umbilical é cortado quando apropriado, geralmente após o bebê ter se acalmado e começado a respirar por conta própria.

Após o nascimento, a mãe e o bebê podem permanecer na posição de cócoras por um período, se desejarem.

Parto de lotus. O que é?

O parto de lotus é um conceito relacionado ao cordão umbilical e à placenta após o nascimento do bebê. Essa prática é considerada não convencional e envolve não cortar o cordão umbilical imediatamente após o nascimento. Aqui estão os principais aspectos do parto de lotus:

Ao contrário da prática comum de cortar o cordão umbilical logo após o nascimento, no parto de lotus, o cordão não é cortado de imediato.

No parto de lotus, o cordão umbilical é mantido intacto até que ele se desprenda naturalmente do bebê, o que pode levar horas, dias ou até mesmo semanas após o nascimento.

A placenta também é preservada após o nascimento. Geralmente, ela é mantida em um recipiente especial e pode ser enterrada, cremada ou descartada de acordo com os desejos da família.

Os defensores do parto de lotus acreditam que essa prática permite uma transição mais gradual do bebê para a vida fora do útero e que pode ter benefícios simbólicos e espirituais. Alguns acreditam que manter o cordão umbilical conectado ao bebê durante mais tempo pode proporcionar nutrientes adicionais e uma transição mais suave.

Durante o período em que o cordão umbilical permanece intacto, o bebê deve ser cuidadosamente monitorado para garantir que ele esteja saudável e recebendo os cuidados adequados, como amamentação e cuidados com o cordão umbilical.

É importante destacar que o parto de lotus é uma escolha pessoal e cultural. Nem todos os profissionais de saúde apoiam essa prática, e a decisão de seguir essa abordagem deve ser feita em consulta com um profissional de saúde e de acordo com as preferências e crenças individuais.

Parto Cesárea: como é

A cesárea é um procedimento cirúrgico em que o bebê é retirado do útero da mãe através de uma incisão feita no abdômen e no útero, ao invés de nascer pelo canal vaginal, como no parto normal. Aqui estão os principais aspectos de como funciona um parto por cesárea:

Este método de parto é realizado em situações em que o parto vaginal não é recomendado ou seguro, seja devido a complicações médicas, posição anormal do bebê, ou outras circunstâncias que coloquem a saúde da mãe ou do bebê em risco.

Antes da cesárea, a mãe é preparada para a cirurgia. Isso geralmente inclui a administração de anestesia, que pode ser uma anestesia epidural ou raquidiana para bloquear a dor na parte inferior do corpo ou, em alguns casos, uma anestesia geral quando a mãe não pode receber anestesia regional.

O cirurgião faz uma incisão horizontal no abdômen, geralmente logo acima da linha do púbis. Em alguns casos, uma incisão vertical pode ser necessária.

Após a incisão no abdômen, o cirurgião acessa o útero e faz uma incisão nele.

O bebê é cuidadosamente retirado do útero através da incisão uterina. Isso é seguido pelo corte do cordão umbilical.

Após a cirurgia, a mãe é levada para uma sala de recuperação, onde é monitorada de perto durante o período pós-operatório. O tempo de recuperação varia, mas geralmente envolve alguns dias de hospitalização.

É importante notar que a cesárea é uma cirurgia importante que envolve riscos, como infecções, hemorragias e complicações anestésicas. Portanto, é normalmente reservada para situações em que o parto vaginal representa um risco maior para a mãe ou o bebê.

A decisão de realizar uma cesárea é feita com base em avaliações médicas e discussões entre a mãe e a equipe médica. É importante que a mãe entenda as razões para a cesárea e os potenciais riscos e benefícios associados ao procedimento.

Após uma cesárea, a recuperação da mãe geralmente envolve cuidados extras, incluindo a necessidade de evitar atividades físicas intensas por um período e a necessidade de cuidar da incisão cirúrgica.

Parto Cesárea Humanizada. Como funciona?

A cesárea humanizada é uma abordagem ao procedimento de cesárea que enfatiza o respeito pelos desejos e a experiência da mãe, tornando o processo mais humanizado e centrado na mulher e no bebê, quando comparado a uma cesárea padrão. Aqui estão alguns dos elementos-chave da cesárea humanizada:

Na cesárea humanizada, a mãe é envolvida nas decisões relacionadas ao procedimento sempre que possível. Ela é informada sobre as opções disponíveis e tem a oportunidade de expressar suas preferências.

A mãe pode ter um acompanhante de sua escolha, como o parceiro, doula ou familiar, durante o procedimento de cesárea. Isso ajuda a proporcionar apoio emocional e conforto à mãe.

Quando apropriado e seguro, a mãe pode receber uma anestesia que permita que ela permaneça acordada e consciente durante a cirurgia. Isso permite que ela veja e interaja com o bebê imediatamente após o nascimento.

O ambiente cirúrgico é projetado para ser mais acolhedor e tranquilo. Isso pode incluir iluminação suave, música relaxante e menos ruído.

Após o nascimento do bebê, ele é colocado imediatamente na barriga nua da mãe para o contato pele a pele, quando possível. Isso ajuda a promover o apego precoce e a regulação da temperatura do bebê.

Quando apropriado, o corte do cordão umbilical é adiado para permitir que o bebê receba mais sangue e nutrientes da placenta antes de ser separado.

A mãe recebe apoio para iniciar a amamentação o mais rápido possível após o nascimento do bebê.

A privacidade e a dignidade da mãe são respeitadas durante todo o procedimento.

A equipe médica se comunica de forma transparente com a mãe, explicando cada etapa do procedimento e respondendo a todas as suas perguntas.

Parto de forceps. O que é?

O parto de forceps é um procedimento obstétrico em que um instrumento médico chamado forceps é utilizado para auxiliar na entrega do bebê durante o trabalho de parto que possa estar dificultoso. Aqui estão os principais aspectos do parto de forceps:

Os forceps são pinças metálicas em forma de colher, projetadas para serem cuidadosamente posicionadas ao redor da cabeça do bebê para auxiliar sua passagem pelo canal de parto. Este procedimento é geralmente realizado quando há uma necessidade médica específica, como atrasos na progressão do trabalho de parto ou preocupações com a saúde da mãe ou do bebê.

O parto de forceps é realizado em situações em que o parto vaginal não está progredindo adequadamente ou quando a saúde da mãe ou do bebê está em risco. As indicações médicas podem incluir atrasos na segunda fase do trabalho de parto, dificuldades na descida do bebê pelo canal de parto ou preocupações com a condição fetal.

Normalmente, a mãe recebe anestesia epidural ou raquidiana para alívio da dor antes da realização do parto de forceps. Isso permite que ela permaneça consciente durante o procedimento.

O obstetra introduz cuidadosamente os forceps no canal de parto e posiciona as lâminas ao redor da cabeça do bebê. Isso é feito sob orientação visual e com extremo cuidado para evitar danos ao bebê.

Com os forceps devidamente posicionados, o obstetra aplica pressão controlada e direcionada para ajudar o bebê a passar pelo canal de parto e ser entregue.

Os batimentos cardíacos do bebê são monitorados durante todo o procedimento para garantir sua segurança.

Após o nascimento do bebê, o cordão umbilical é cortado.

Tanto a mãe quanto o bebê são cuidadosamente avaliados após o parto para garantir que estejam em boas condições de saúde.

Parto domiciliar. Como é?

O parto domiciliar é um tipo de parto que ocorre na casa da gestante, em vez de em um hospital, clínica ou centro de parto. Geralmente, é assistido por uma parteira, uma enfermeira ou um profissional de saúde. Aqui estão os principais aspectos do parto domiciliar:

O parto em casa é uma escolha feita pela gestante e sua família, muitas vezes baseada em uma preferência por um ambiente mais acolhedor e controlado, ou uma filosofia de parto mais natural. É importante que a gestante esteja bem informada sobre os riscos e benefícios do parto em casa.

Um profissional de saúde treinado em partos em domicílio, como uma parteira ou enfermeira obstétrica, lidera o processo. Esse profissional tem experiência em fornecer cuidados pré-natais, assistência ao parto e cuidados pós-parto em domicílio.

O parto em casa envolve uma preparação cuidadosa, incluindo a montagem de um kit de parto domiciliar que contenha suprimentos e equipamentos médicos essenciais, bem como um plano de contingência para transferência para um hospital em caso de complicações.

Durante o trabalho de parto, a gestante e o bebê são monitorados regularmente para garantir que o parto esteja progredindo normalmente. Os batimentos cardíacos do bebê e a pressão arterial da mãe, por exemplo, são monitorados.

Em caso de complicações ou emergências, é fundamental que haja um plano claro para transferir a gestante e o bebê para um hospital, onde cuidados médicos adicionais podem ser fornecidos.

A gestante geralmente é encorajada a ter um acompanhante de sua escolha durante o parto em casa, como o parceiro, doula ou familiar, para fornecer apoio emocional.

Após o nascimento, a mãe e o bebê permanecem em casa e recebem cuidados pós-parto da parteira ou do profissional de saúde. Isso inclui exames de saúde, apoio na amamentação e acompanhamento do bem-estar da mãe e do bebê nos dias e semanas seguintes ao parto.

É importante enfatizar que o parto domiciliar não é apropriado para todas as gestantes. Mulheres com complicações médicas, gravidezes de alto risco ou gestações múltiplas são geralmente desaconselhadas a fazer um parto em casa, pois essas situações podem aumentar o risco de complicações que requerem atenção médica imediata. A decisão de optar pelo parto em casa deve ser tomada com base em uma avaliação cuidadosa da gestação individual e após discussão com um profissional de saúde.

Como auxiliar o trabalho de parto de forma natural?

Auxiliar o trabalho de parto de forma natural pode ser uma escolha para algumas gestantes que desejam minimizar intervenções médicas e promover uma experiência de parto mais natural. Aqui estão algumas maneiras de auxiliar o trabalho de parto de forma natural:

Atividades que ajudam o trabalho de parto

Existem várias atividades que podem ajudar a promover o trabalho de parto. No entanto, é importante lembrar que o trabalho de parto é um processo natural e variável. Aqui estão algumas atividades e práticas que podem auxiliar o trabalho de parto:

Ficar ativa durante o trabalho de parto pode ajudar a acelerar a progressão e aliviar o desconforto. Caminhar, balançar os quadris, subir escadas e adotar diferentes posições podem ser benéficos.

Experimente diferentes posições para encontrar a mais confortável. Isso pode incluir ficar de pé, ajoelhada, de cócoras, de quatro ou sentada em uma bola de parto. Mudar de posição regularmente pode facilitar o movimento do bebê pelo canal de parto.

Um banho de água morna ou um chuveiro pode proporcionar alívio da dor e relaxamento durante o trabalho de parto. Muitas maternidades oferecem banheiras de parto para uso durante o trabalho de parto.

Práticas de respiração profunda e técnicas de respiração relaxante podem ajudar a controlar a dor e a manter a calma durante as contrações.

Principais exercícios para ajudar a iniciar o trabalho de parto

Embora não haja garantias de que exercícios físicos específicos iniciarão o trabalho de parto, algumas atividades podem ajudar a preparar o corpo e possivelmente favorecer a progressão do trabalho de parto de forma mais equilibrada e saudável. Aqui estão alguns exercícios que podem ser benéficos:

Caminhar regularmente pode ajudar a mover o bebê para a posição adequada e estimular contrações. Uma caminhada suave de 30 a 60 minutos diários pode ser uma boa escolha.

Movimentos que envolvem o quadril, como balançar o quadril de um lado para o outro, podem ajudar a abrir a pélvis e aliviar a pressão.

Fazer agachamentos leves pode fortalecer os músculos das pernas e da pelve, o que pode ser benéfico para o parto. Certifique-se de fazê-los corretamente para evitar lesões.

Fazer alongamentos suaves pode ajudar a aliviar a tensão muscular e melhorar a flexibilidade. Preste atenção ao alongamento da parte inferior das costas e das pernas.

Sentar ou balançar suavemente em uma bola de exercícios pode aliviar a pressão na região lombar e promover o movimento do bebê na pelve.

Caminhadas longas ajudam no trabalho de parto?

Caminhadas longas podem ser benéficas durante o trabalho de parto, pois a atividade física leve pode ajudar a estimular contrações e a progressão do trabalho de parto. Aqui estão algumas maneiras pelas quais caminhar pode ajudar no trabalho de parto:

A ação de caminhar estimula o movimento do bebê na pelve e o contato entre a cabeça do bebê e o colo do útero. Isso pode desencadear a liberação de ocitocina, um hormônio que estimula as contrações uterinas.

A caminhada pode melhorar a postura e o posicionamento da gestante, ajudando o bebê a descer no canal de parto e a assumir uma posição adequada para o nascimento.

Caminhar pode promover o relaxamento e reduzir o estresse, o que pode ser benéfico durante o trabalho de parto, já que o estresse pode dificultar a progressão.

A caminhada leve pode proporcionar alívio da pressão e do desconforto causado pelas contrações.

No entanto, é importante lembrar que cada gestação é única, e o trabalho de parto pode começar e progredir de maneira diferente para cada mulher. Algumas mulheres podem não sentir benefícios significativos ao caminhar durante o trabalho de parto, enquanto outras podem achar que ajuda a acelerar o processo.

Respiração no trabalho de parto

A técnica de respiração desempenha um papel importante no controle da dor e no gerenciamento do trabalho de parto. A respiração adequada pode ajudar a relaxar, manter o foco e lidar com as contrações uterinas. Aqui estão algumas formas de respiração que podem ser úteis durante o trabalho de parto:

Respire profundamente pelo nariz e solte o ar lentamente pela boca. Essa técnica ajuda a relaxar e a manter o oxigênio fluindo para o bebê e para os músculos que trabalham durante o parto. Concentre-se em inspirações e expirações lentas e profundas.

Crie um padrão de respiração rítmica que corresponda às suas contrações. Por exemplo, você pode respirar profundamente por quatro segundos, segurar a respiração por quatro segundos e depois soltar o ar por quatro segundos. Ajuste o ritmo conforme necessário.

Conte suas respirações para manter um ritmo constante. Isso pode ajudar a distrair da dor e a manter o controle durante as contrações.

Banho quente e banheira para ajudar no trabalho de parto

O uso de banho quente ou de uma banheira durante o trabalho de parto pode ser uma maneira eficaz de aliviar a dor, promover o relaxamento e facilitar a progressão do trabalho de parto. Aqui estão os benefícios relacionados ao uso de água durante o trabalho de parto:

A água quente pode ajudar a aliviar a dor das contrações e relaxar os músculos tensos. Mergulhar em um banho quente pode promover um estado de relaxamento geral, o que é benéfico para lidar com o desconforto do trabalho de parto.

A água morna pode melhorar o fluxo sanguíneo para o útero, o que pode ajudar a aumentar a eficácia das contrações. Um banho quente pode ajudar a reduzir o estresse e a ansiedade durante o trabalho de parto.

Uma banheira de parto é projetada para acomodar uma gestante de forma que ela possa estar completamente imersa na água. Isso permite que ela se movimente livremente e mude de posição, o que pode ser benéfico para a progressão do trabalho de parto. A flutuabilidade da água pode aliviar a pressão sobre as articulações e os músculos, proporcionando um alívio adicional durante as contrações.

Algumas gestantes relatam que o uso da banheira de parto reduz a necessidade de medicamentos para alívio da dor, como a epidural.

Alimentação e hidratação durante o parto

A alimentação e a hidratação durante o trabalho de parto são importantes para manter a energia e a hidratação da mãe, mas geralmente são gerenciadas de maneira específica. Aqui estão algumas orientações gerais sobre alimentação e hidratação durante o trabalho de parto:

Manter-se hidratada é essencial durante o trabalho de parto. Beber pequenos goles de água regularmente pode ajudar a evitar a desidratação. Em alguns casos, a equipe médica pode oferecer uma solução oral especial, como uma bebida isotônica, para fornecer eletrólitos e energia durante o trabalho de parto.

Comer refeições leves e de fácil digestão durante o início do trabalho de parto pode ajudar a fornecer energia. Isso pode incluir lanches como frutas, iogurte, barras de cereal, torradas ou sopas leves. Refeições pesadas e alimentos gordurosos devem ser evitados, pois podem causar desconforto gástrico durante o trabalho de parto.

A decisão de comer durante o trabalho de parto pode depender da política da instituição médica, das circunstâncias individuais e do progresso do trabalho de parto. Em alguns casos, especialmente quando a anestesia epidural é planejada, a ingestão de alimentos pode ser restrita para evitar riscos de aspiração.

Comidas apimentadas ajudam a iniciar o trabalho de parto?

Comer comidas apimentadas é uma crença popular, mas não há evidências científicas sólidas que comprovem que alimentos picantes, como pimenta, realmente induzam o trabalho de parto. Entenda mais sobre este mito de comer alimentos apimentados para acelerar o trabalho de parto:

A ideia por trás dessa crença é que a ingestão de alimentos picantes pode estimular o sistema digestivo e, por extensão, o útero, levando ao início do trabalho de parto. No entanto, essa ideia não é apoiada por pesquisas médicas substanciais.

O início do trabalho de parto é um processo complexo e altamente regulado por hormônios, que envolve a liberação de ocitocina e prostaglandinas. Alimentos picantes não têm um impacto direto na liberação desses hormônios ou na progressão do trabalho de parto.

Além disso, consumir alimentos picantes pode causar desconforto gástrico ou azia em algumas pessoas, o que não é desejável durante o trabalho de parto.

É importante discutir qualquer alteração na dieta ou uso de alimentos ou suplementos durante a gravidez com seu médico ou parteira. Eles podem fornecer orientações específicas com base em sua situação individual e garantir que você esteja fazendo escolhas seguras e saudáveis durante a gravidez e o trabalho de parto.

Relações sexuais ajudam no trabalho de parto?

A atividade sexual, incluindo as relações sexuais, é frequentemente discutida como um método potencial para induzir o trabalho de parto em gestantes próximas ao termo de sua gravidez. Aqui estão algumas considerações importantes sobre as relações sexuais e o trabalho de parto:

Antes de considerar relações sexuais durante a gravidez, é fundamental discutir essa opção com seu médico ou parteira para garantir que seja seguro para você e seu bebê. Em algumas situações, como gravidezes de alto risco ou complicações, o sexo pode ser desaconselhado.

A gestante deve estar confortável e disposta a participar das relações sexuais. O consentimento e o conforto da gestante são fundamentais.

As prostaglandinas presentes no sêmen podem ajudar a amadurecer o colo do útero, mas a quantidade liberada durante as relações sexuais é relativamente pequena em comparação com as prostaglandinas utilizadas em procedimentos médicos para indução do parto.

A eficácia das relações sexuais para induzir o trabalho de parto pode variar de pessoa para pessoa. Algumas gestantes relatam sucesso, enquanto outras não experimentam qualquer efeito significativo.

 

Bola suíça, a de pilates, ajuda no trabalho de parto?

A bola suíça, também conhecida como bola de pilates ou bola de exercício, pode ser uma ferramenta útil durante o trabalho de parto, especialmente para aliviar o desconforto e promover o movimento e o posicionamento adequados. Aqui estão algumas maneiras pelas quais a bola suíça pode ser benéfica:

Sentar ou balançar suavemente em uma bola suíça pode aliviar a pressão na região lombar e pélvica, proporcionando conforto durante as contrações.

A bola suíça permite que você se mova facilmente durante o trabalho de parto, o que pode facilitar o posicionamento do bebê no canal de parto e promover a progressão do trabalho de parto.

A bola suíça oferece uma superfície macia e flexível para sentar ou apoiar-se, permitindo que você experimente diferentes posições para encontrar a mais confortável.

Sentar-se na bola suíça pode ajudar a manter uma postura mais estável durante as contrações, o que pode ser benéfico para o alívio da dor.

Balançar ou se movimentar suavemente na bola suíça pode promover o relaxamento e aliviar a tensão durante o trabalho de parto.

Aromaterapia no trabalho de parto

A aromaterapia é uma terapia natural que usa os óleos essenciais, extraídos de plantas, para promover o bem-estar físico e emocional. Aqui estão algumas maneiras pelas quais a aromaterapia pode ser usada de forma benéfica e auxiliar no trabalho de parto:

Certos óleos essenciais, como lavanda, camomila, hortelã-pimenta e rosa, podem ser usados em difusores ou diluídos em óleo de massagem para criar um ambiente aromático agradável durante o trabalho de parto.

Utilizar um difusor de aromaterapia no quarto de parto pode disseminar suavemente os aromas dos óleos essenciais, ajudando a criar uma atmosfera relaxante.

Inalar vapores de óleos essenciais pode ajudar a acalmar e relaxar a gestante.

Em casos de náusea durante o trabalho de parto, óleos essenciais como gengibre ou limão podem ser usados para aliviar o enjoo.

Massagem perineal ajuda no trabalho de parto?

A massagem perineal é uma técnica em que o períneo, a área muscular localizada entre a vagina e o ânus, é massageada suavemente para aumentar a flexibilidade e a elasticidade dessa região. No entanto, a massagem perineal regular durante as últimas semanas de gravidez pode ter alguns benefícios potenciais:

A massagem perineal pode ajudar a preparar o períneo para o estiramento durante o parto, o que pode reduzir o risco de lacerações ou a necessidade de episiotomia (um corte cirúrgico).

Ao tornar o períneo mais flexível, a massagem pode facilitar a passagem do bebê durante o parto, reduzindo a resistência.

Algumas mulheres relatam que a massagem perineal as ajuda a se familiarizarem com a sensação de alongamento do períneo, o que pode proporcionar maior conforto durante o parto.

A massagem perineal deve ser realizada com cuidado e usando um óleo de massagem adequado. É importante seguir as orientações do profissional de saúde ou parteira para garantir que a técnica seja executada corretamente e para evitar lesões.

Massagem pré-natal para o trabalho de parto

A massagem pré-natal pode ser uma técnica benéfica durante o trabalho de parto, pois pode ajudar a aliviar o desconforto, promover o relaxamento e fornecer apoio emocional à gestante. Aqui estão alguns dos tantos benefícios da massagem durante o trabalho de parto:

Durante o trabalho de parto, a gestante pode experimentar tensão muscular em várias partes do corpo, como costas, ombros e pescoço. Uma massagem suave pode aliviar essa tensão e proporcionar conforto.

A massagem pré-natal é conhecida por seu efeito relaxante. Pode ajudar a reduzir o estresse, a ansiedade e o medo associados ao trabalho de parto, criando um ambiente mais calmo e tranquilo.

A massagem pré-natal pode ajudar a aliviar a dor das contrações e proporcionar um alívio temporário. A pressão aplicada durante a massagem pode distrair a gestante da intensidade das contrações.

Além dos benefícios físicos, a massagem pode fornecer um senso de apoio emocional e conexão com o parceiro, doula ou parteira que está administrando a massagem. 

Cuidados e preparo para o parto. Dicas para se preparar

Preparar-se para o parto é uma parte importante da jornada da gravidez. Aqui estão algumas dicas e cuidados que podem ajudá-la a se preparar física e emocionalmente para o trabalho de parto e tornar este momento especial da maneira que deve ser:

Faça o pré-natal para se preparar para o parto

Certifique-se de fazer um acompanhamento médico pré-natal regular com seu obstetra ou parteira. Isso garantirá que você e seu bebê estejam saudáveis e que qualquer preocupação seja abordada adequadamente. Realize todos exames conforme solicitado pelo seu médico obstetra e vá a todas consultas agendadas.

Conheça os sinais do trabalho de parto para se preparar

Conhecer os sinais do trabalho de parto é fundamental para se preparar para o nascimento do seu bebê. Aqui estão alguns sinais que indicam que você pode estar entrando em trabalho de parto, para que você possa entender o que está acontecendo com seu corpo sem trazer ansiedade:

As contrações são um dos sinais mais evidentes do trabalho de parto. Contrações verdadeiras são regulares, tornam-se mais frequentes e intensas com o tempo e geralmente duram de 30 a 60 segundos. Elas podem começar espaçadas e se tornar mais próximas com o tempo.

Algumas mulheres notam a liberação de um tampão mucoso, que é uma secreção espessa e viscosa que pode ter uma coloração rosada ou marrom. Isso pode acontecer antes do início das contrações.

A ruptura da bolsa amniótica é quando o líquido amniótico que envolve o bebê é liberado. Isso pode ocorrer como um grande rompimento ou como um gotejamento constante. Nem sempre é acompanhado por dor imediata, mas é um sinal importante do trabalho de parto.

Você pode sentir uma pressão ou peso na área pélvica à medida que o bebê se move para o canal de parto.

Converse com outras mães sobre experiências para se preparar para o parto

Conversar com outras mães sobre suas experiências de parto pode ser uma excelente maneira de se preparar emocionalmente e obter insights valiosos sobre o que esperar durante o processo de trabalho de parto e parto. Aqui estão algumas dicas para iniciar essas conversas de forma produtiva:

Junte-se a grupos de apoio presenciais ou online para gestantes e mães. Esses grupos podem oferecer um ambiente seguro para compartilhar experiências e obter apoio de pessoas que passaram por experiências semelhantes.

Se você tem amigas ou familiares que são mães, converse com elas sobre suas experiências de parto. Elas podem fornecer conselhos, compartilhar histórias e oferecer apoio emocional.

Lembre-se de que cada parto é único, e as experiências podem variar amplamente. Ouça histórias de diferentes mães para ter uma compreensão mais abrangente das possíveis experiências de parto.

Não hesite em fazer perguntas específicas sobre os detalhes do parto, como o uso de analgesia, posições de parto, intervenções médicas e muito mais. Isso pode ajudar a esclarecer dúvidas e reduzir ansiedades.

Além de conversar com outras mães, leia livros, artigos e assista a documentários ou programas educacionais sobre parto. Isso ampliará seus conhecimentos sobre as diferentes abordagens para o parto.

Lembre-se de que cada gravidez e parto são únicos, e o que funcionou para uma mãe pode não ser o melhor para você. Esteja aberta a diferentes abordagens e opções durante o seu próprio processo de parto.

Escolha e visite a maternidade para se preparar para o parto

Visitar a maternidade onde você planeja dar à luz é uma excelente ideia. Essa visita pode ajudá-la a se familiarizar com o ambiente, a equipe médica e as instalações, proporcionando maior tranquilidade durante o processo de trabalho de parto. Aqui estão algumas etapas para escolher a maternidade:

Faça uma pesquisa para identificar as maternidades disponíveis em sua área. Considere fatores como localização, reputação, serviços oferecidos e acomodações.

Entre em contato com a maternidade de sua escolha para agendar uma visita. Pergunte sobre as datas e horários disponíveis para visitas guiadas. Prepare uma lista de perguntas para fazer durante a visita. Isso pode incluir perguntas sobre as políticas da maternidade, opções de parto, acompanhantes, procedimentos e opções de alojamento.

Durante a visita, aproveite a oportunidade para conhecer as instalações, incluindo as salas de parto, salas de recuperação pós-parto e a equipe médica. Pergunte sobre as políticas de segurança, protocolos de emergência e planos de cuidados.

Observe a atmosfera e a sensação geral da maternidade. Certifique-se de que você se sinta confortável e segura lá.

Descubra quais são as opções de acomodação disponíveis, como quartos privativos ou compartilhados. Considere suas preferências e necessidades pessoais ao fazer essa escolha.

Alimentação e hidratação para se preparar para o parto

Uma alimentação e hidratação adequadas desempenham um papel importante na preparação para o parto, pois ajudam a manter sua energia, nutrição e hidratação durante o trabalho de parto. Aqui estão algumas dicas sobre como se alimentar e se hidratar adequadamente:

Durante o trabalho de parto, você pode preferir lanches leves e fáceis de digerir. Isso inclui opções como barras de cereal, frutas, iogurte, biscoitos integrais e queijo.

Se possível, faça refeições menores e mais frequentes ao longo do trabalho de parto para manter seus níveis de energia. Evite refeições pesadas.

Evite alimentos muito condimentados, gordurosos ou difíceis de digerir, pois eles podem causar desconforto estomacal.

Mantenha uma fonte constante de energia com lanches ricos em carboidratos, como frutas, torradas integrais ou barras de cereais.

Beba água regularmente para evitar a desidratação. É importante manter-se hidratada, pois o trabalho de parto pode ser fisicamente exigente.

Algumas mulheres preferem bebidas isotônicas naturais, como água de coco, que também podem ajudar a repor eletrólitos perdidos.

Principais exercícios para se preparar para o parto

A prática de exercícios físicos adequados durante a gravidez pode ajudar a preparar o corpo para o parto, promovendo força, resistência, flexibilidade e bem-estar geral. Aqui estão alguns dos principais exercícios recomendados para se preparar para o trabalho de parto:

Inclua exercícios de alongamento em sua rotina para manter a flexibilidade muscular e reduzir a tensão. Movimentos de ioga ou alongamentos suaves podem ser benéficos.

Fortalecer os músculos das costas e abdominais ajuda a manter uma postura melhor durante a gravidez e o parto. Exercícios como pranchas, flexões e rotações abdominais modificado são bons exemplos.

Caminhadas, natação e ciclismo são exemplos de exercícios aeróbicos de baixo impacto que podem ajudar a manter sua resistência cardiovascular durante a gravidez.

Exercícios específicos para a pélvis podem ajudar a melhorar a mobilidade pélvica e a preparar a região para o parto. Um exemplo é a "ponte pélvica", onde você deita de costas, dobra os joelhos e levanta o quadril do chão.

Repouso e cuidados com sono para se preparar para o parto

O descanso adequado e os cuidados com o sono são essenciais durante a gravidez para ajudar a se preparar para o parto. Aqui estão algumas dicas e recomendações para garantir um bom repouso e sono durante a gravidez e assim se preparar para o parto:

Tente estabelecer uma rotina regular de sono indo para a cama e acordando à mesma hora todos os dias, incluindo fins de semana.

Certifique-se de que seu ambiente de sono seja confortável e propício ao repouso. Isso inclui um colchão confortável, travesseiros adequados e temperatura agradável.

A prática de exercícios físicos regulares durante o dia pode ajudar a melhorar a qualidade do sono à noite. No entanto, evite exercícios intensos muito próximos da hora de dormir.

Reduza a ingestão de cafeína e evite alimentos ricos em açúcar e gordura antes de dormir, pois esses alimentos podem interferir na qualidade do sono.

Mantenha-se hidratada durante o dia, mas limite a ingestão de líquidos algumas horas antes de dormir para evitar acordar para urinar durante a noite.

À medida que a gravidez avança, pode ser desafiador encontrar uma posição confortável para dormir devido ao aumento do tamanho da barriga. Tente usar travesseiros de apoio ou almofadas para encontrar uma posição mais confortável.

Encontre maneiras de reduzir o estresse e a preocupação antes de dormir. Manter um diário, praticar a gratidão e conversar com um amigo de confiança sobre suas preocupações podem ser úteis.

Movimentação e massagem no períneo para preparo de parto

A movimentação e a massagem no períneo são técnicas que podem ser úteis para preparar o corpo para o parto, especialmente para ajudar a tornar a região do períneo mais flexível e elástica. Aqui estão algumas informações sobre como praticar a movimentação e a massagem no períneo:

O períneo é a área entre a vagina e o ânus, e é importante para o processo de parto vaginal.

A movimentação do períneo envolve exercícios que ajudam a alongar e fortalecer a musculatura dessa região. Uma técnica comum é que você fica de quatro no chão e alterna entre arquear as costas e depois arredondá-las. Isso ajuda a fortalecer os músculos do assoalho pélvico e a melhorar a flexibilidade do períneo. Outra técnica é a "movimentação da pélvis", na qual você deita de costas e faz movimentos suaves de balanço da pélvis para frente e para trás. Isso também ajuda a alongar os músculos da região.

A massagem no períneo é uma técnica em que você aplica pressão suave e constante no períneo para ajudar a relaxar e alongar os tecidos. Você pode fazer isso você mesma ou pedir ao seu parceiro ou a um profissional de saúde para ajudar. Use um óleo ou lubrificante adequado para tornar a massagem mais suave e confortável. Insira o polegar cerca de 3-4 centímetros na vagina e, com movimentos circulares suaves, massageie o períneo. A pressão deve ser firme, mas não dolorosa. A massagem pode ser feita por alguns minutos diariamente, começando em torno das 34 semanas de gravidez.

É importante conversar com seu médico ou parteira antes de iniciar qualquer prática de movimentação ou massagem no períneo, pois eles podem fornecer orientações específicas com base em sua saúde e gravidez.

Massagem pré-natal ajuda no preparo para o parto?

Sim, a massagem pré-natal pode ser benéfica em várias situações de saúde da gestante e pode ser útil como parte de um programa geral de relaxamento e bem-estar durante a gravidez, para auxiliar no bem-estar e saúde como preparo para o parto.

Durante a gravidez, muitas mulheres optam por diferentes tipos de massagens terapêuticas, como a massagem pré-natal para aliviar o estresse, relaxar os músculos tensos e promover o bem-estar geral. Essas massagens não estão diretamente relacionadas ao preparo do corpo para o parto, mas podem ajudar a aliviar desconfortos físicos e emocionais comuns durante a gravidez.

É importante escolher um massagista qualificado e informá-lo sobre sua gravidez antes de iniciar qualquer tipo de massagem. O massagista deve ter experiência em massagem pré-natal e saber como adaptar as técnicas para atender às necessidades específicas da gestante.

  

O que é massagem pré-natal para o preparo de parto?

A massagem pré-natal para o preparo de parto é uma técnica terapêutica que visa preparar o corpo da gestante para o parto. Ela envolve a aplicação de movimentos e pressão em áreas específicas do corpo para proporcionar conforto físico e emocional durante a gravidez e o trabalho de parto. Veja mais:

Como funciona a massagem pré-natal para parto?

A massagem pré-natal para o parto é uma técnica terapêutica que visa proporcionar conforto físico e emocional à gestante durante o trabalho de parto e ajudar no processo de parto. Aqui vão algumas indicações de como a massagem para o parto geralmente funciona:

A gestante pode discutir a possibilidade de receber massagem durante o trabalho de parto com seu médico, parteira ou doula antes do grande dia. A escolha de um terapeuta de massagem especializado em gestantes ou de uma doula treinada em técnicas de massagem para o parto pode ser uma opção.

A massagem pré-natal pode ser realizada em diferentes posições, dependendo da preferência da gestante e do estágio do trabalho de parto. Muitas vezes, a gestante fica deitada de lado, sentada ou em uma posição que a deixe confortável e relaxada.

O terapeuta ou doula utiliza várias técnicas de massagem, como movimentos circulares, pressão suave, alongamentos suaves e toques rítmicos. A pressão e a intensidade da massagem podem ser ajustadas de acordo com as necessidades e preferências da gestante.

Durante o trabalho de parto, a gestante pode experimentar tensão muscular, dor nas costas e desconforto devido às contrações uterinas. A massagem ajuda a aliviar essa tensão, relaxar os músculos e proporcionar alívio temporário da dor.

A massagem pré-natal é projetada para promover o relaxamento profundo, o que pode ajudar a gestante a se sentir mais confortável e tranquila durante o trabalho de parto.

Além do alívio físico, a massagem para o parto também fornece apoio emocional à gestante, ajudando-a a se sentir mais confiante e calma durante o processo de parto.

Como a massagem pré-natal ajuda no parto?

A massagem pré-natal pode ser uma ferramenta útil para auxiliar no parto de várias maneiras. Ela pode desempenhar um papel importante no alívio da dor, no relaxamento e no apoio emocional durante o trabalho de parto. Aqui estão algumas maneiras pelas quais a massagem pode ajudar no parto:

A aplicação de pressão suave e movimentos circulares em áreas específicas pode liberar endorfinas, que são os analgésicos naturais do corpo, proporcionando alívio temporário da dor.

Durante o trabalho de parto, os músculos do corpo podem ficar tensos devido às contrações. A massagem pré-natal pode ajudar a relaxar esses músculos, reduzindo a tensão e tornando as contrações mais suportáveis.

A massagem pode melhorar a circulação sanguínea, o que pode ser benéfico durante o parto para garantir um fluxo adequado de oxigênio e nutrientes para a mãe e o bebê.

Além dos benefícios físicos, a massagem pode fornecer apoio emocional à gestante, ajudando-a a se sentir mais apoiada e confiante durante o processo de parto.

A massagem pode ser uma forma eficaz de proporcionar conforto físico e alívio temporário da dor, tornando o processo de parto mais suportável.

Quem pode fazer massagem pré-natal para preparo de parto?

A massagem pré-natal para o preparo de parto pode ser realizada por terapeutas de massagem especializados em técnicas pré-natais e parto ou por doulas treinadas em massagem para o parto. Aqui estão informações sobre quem pode realizar a massagem para o parto:

Alguns terapeutas de massagem têm treinamento específico em massagem pré-natal. Eles são profissionais qualificados que conhecem as necessidades e preocupações das gestantes e sabem como adaptar as técnicas de massagem para atender às necessidades durante a gravidez e o trabalho de parto. Ao escolher um terapeuta de massagem pré-natal, verifique suas credenciais e experiência.

As doulas são profissionais de apoio ao parto que fornecem assistência emocional, física e informativa durante o parto. Algumas doulas têm treinamento em massagem para o parto e podem incorporar essa técnica em sua abordagem de apoio ao parto. A contratação de uma doula com treinamento em massagem pode ser uma opção para gestantes que desejam esse tipo de apoio.

Como é um atendimento de massagem pré-natal para preparo de parto?

Um atendimento de massagem pré-natal para preparo de parto é uma experiência que visa proporcionar relaxamento, alívio da tensão muscular e apoio emocional à gestante durante a gravidez e o trabalho de parto. Aqui está uma descrição geral do que esperar durante uma sessão de massagem para o preparo de parto:

A sessão geralmente começa com uma avaliação inicial, na qual a gestante e o terapeuta de massagem discutem suas necessidades, preocupações e preferências. Isso ajuda o terapeuta a adaptar a massagem de acordo com as necessidades individuais da gestante.

A gestante será convidada a deitar-se em uma maca de massagem ou em uma superfície confortável em uma posição que seja adequada para ela e seu estágio de gravidez.

Durante a sessão, a gestante geralmente fica em uma posição que seja mais confortável para ela, como deitada de lado, semi-reclinada ou em uma posição que minimize a pressão sobre o abdômen.

O terapeuta de massagem utiliza uma variedade de técnicas de massagem suave, como movimentos circulares, pressão suave, alongamentos suaves e toques rítmicos.

A massagem pré-natal pode ser direcionada para áreas específicas do corpo, como costas, ombros, pernas, pés e o próprio períneo, dependendo das necessidades e preferências da gestante.

A duração de uma sessão de massagem para o preparo de parto pode variar, mas geralmente dura de 60 a 90 minutos, dependendo das necessidades da gestante.

Após a sessão de massagem, a gestante pode ser aconselhada a descansar por um curto período e beber água para ajudar na eliminação de toxinas do corpo.

Algumas gestantes optam por agendar sessões regulares de massagem pré-natal para receber os benefícios ao longo da gravidez e durante o trabalho de parto.

Para quem é indicada a massagem pré-natal para parto?

A massagem pré-natal para o parto é geralmente indicada para gestantes que desejam receber apoio físico, emocional e relaxamento durante a gravidez e o trabalho de parto. Ela pode ser particularmente benéfica em várias situações e para diferentes gestantes, incluindo o seguinte:

A massagem pré-natal pode ajudar a aliviar a tensão muscular comum durante a gravidez, especialmente nas costas, ombros e pescoço.

Muitas gestantes experimentam dor nas costas durante a gravidez devido ao peso extra da barriga. A massagem nas costas pode proporcionar alívio temporário da dor.

A massagem suave nas pernas e nos pés pode ajudar a reduzir o inchaço, melhorando a circulação sanguínea.

A massagem é conhecida por promover o relaxamento e aliviar o estresse e a ansiedade, o que pode ser especialmente benéfico para gestantes que se sentem ansiosas em relação ao parto.

Algumas gestantes optam pela massagem para tornar o processo de parto mais confortável e para auxiliar no alívio da dor das contrações.

Para gestantes que desejam minimizar o uso de medicamentos durante o parto, a massagem pode ser uma opção de alívio natural da dor.

Além dos benefícios físicos, a massagem oferece apoio emocional, criando um ambiente tranquilo e acolhedor onde a gestante se sente cuidada e apoiada.

Alguns parceiros de gestantes aprendem técnicas de massagem para oferecer apoio físico durante o trabalho de parto, o que pode fortalecer a conexão entre o casal.

A massagem pré-natal para o parto pode ser usada em conjunto com outras terapias complementares, como acupuntura, ioga pré-natal e técnicas de respiração, para um preparo mais abrangente para o parto.

É importante que a gestante discuta suas necessidades e preferências com seu médico, parteira ou doula antes de optar pela massagem para o parto. Eles podem fornecer orientações específicas com base na situação individual da gestante e ajudar a determinar se a massagem é uma opção adequada. Além disso, é essencial escolher um terapeuta de massagem ou doula especializado em técnicas de massagem para o parto, que tenha experiência e treinamento adequados para atender às necessidades da gestante durante a gravidez e o trabalho de parto.

Qual diferença entre massagem pré-natal e massagem perineal?

A massagem pré-natal para o parto e a massagem perineal são duas técnicas diferentes, embora ambas envolvam a aplicação de movimentos e pressão na área genital durante a gravidez e o parto. Aqui estão as principais diferenças entre essas duas formas de massagem:

Em resumo, a principal diferença entre as duas é o momento e o objetivo da aplicação. A massagem pré-natal para o parto é realizada para proporcionar alívio da dor e apoio emocional, enquanto a massagem perineal é uma técnica realizada antes do parto para preparar o períneo e reduzir o risco de lacerações durante o parto vaginal. Ambas podem ser benéficas para gestantes, mas têm diferentes finalidades e momentos de aplicação.

Benefícios da massagem pré-natal para o trabalho de parto

A massagem pré-natal para o trabalho de parto pode oferecer vários benefícios à gestante durante o processo de parto. Embora seja importante lembrar que a experiência pode variar de uma gestante para outra, aqui estão alguns benefícios potenciais da massagem para o trabalho de parto:

 

Massagem pré-natal elimina inchaços: circulação no parto

A massagem pré-natal pode ajudar a reduzir inchaços durante o trabalho de parto, principalmente quando aplicada em áreas específicas do corpo, como pernas e pés. A melhora da circulação é um dos benefícios da massagem. Aqui está como a massagem pode ajudar nesse aspecto:

Durante a gravidez e o trabalho de parto, algumas gestantes podem experimentar inchaço devido à retenção de líquidos e à pressão adicional nos vasos sanguíneos. A massagem pré-natal, por meio de movimentos suaves e circulares, pode estimular o sistema circulatório e ajudar a mover o excesso de fluidos retidos.

Massagem pré-natal ajuda na regulação hormonal para o parto

A massagem pré-natal não é uma técnica que diretamente regula hormônios específicos para o parto, como a ocitocina, que desencadeia as contrações uterinas durante o trabalho de parto. Aqui estão algumas maneiras pelas quais a massagem pode influenciar a regulação hormonal durante o parto:

A massagem pré-natal pode estimular a liberação de endorfinas, que são os analgésicos naturais do corpo. Essas endorfinas podem ajudar a aliviar a sensação de dor durante as contrações uterinas.

Massagem pré-natal alivia dores no ciático, costas e lombar: parto

Sim, a massagem pré-natal pode ser eficaz para aliviar dores no ciático, nas costas e na lombar durante o parto. Durante a gravidez e o parto, as mudanças podem causar dor, e a massagem pode ser uma opção para proporcionar alívio. Aqui estão algumas formas que a massagem alivia dores:

A massagem pré-natal pode relaxar os músculos das costas, da lombar e da região do ciático, aliviando a tensão muscular que pode contribuir para o desconforto.

Massagem pré-natal: ansiedade e humor no parto

Sim, a massagem pré-natal pode ser eficaz na redução da ansiedade e melhoria do humor durante o processo de parto e até mesmo durante a gravidez. Muitas gestantes relatam sentir-se mais relaxadas e calmas após receberem uma massagem. Aqui estão algumas maneiras pelas quais a massagem pode fazer isso:

A massagem promove o relaxamento profundo dos músculos e do sistema nervoso, ajudando a reduzir os níveis de estresse e ansiedade.

A massagem pré-natal pode estimular a liberação de endorfinas, que são os analgésicos naturais do corpo. Essas substâncias químicas podem melhorar o humor e criar uma sensação de bem-estar.

Além dos benefícios físicos, a massagem oferece apoio emocional à gestante. A gestante se sente cuidada e apoiada, o que pode reduzir a ansiedade relacionada ao parto.

Durante a massagem, a gestante é incentivada a se concentrar no presente, o que pode ajudar a afastar pensamentos preocupantes e ansiedade sobre o futuro.

O ambiente onde a massagem é realizada é frequentemente projetado para ser calmo, tranquilo e acolhedor, o que ajuda a reduzir a ansiedade.

A interação com o terapeuta de massagem é frequentemente uma experiência positiva e de apoio, o que pode melhorar o humor da gestante.

Massagem pré-natal deixa a gestante mais calma e também o bebê

Sim, a massagem pré-natal pode deixar a gestante mais calma e, indiretamente, também pode ter um efeito positivo no bem-estar do bebê. A experiência de relaxamento e redução do estresse pode influenciar o ambiente interno do útero. Aqui estão algumas maneiras que a massagem beneficia a gestante e o bebê:

A massagem ajuda a reduzir os níveis de estresse e ansiedade da gestante, o que pode melhorar seu estado emocional geral. Quando a mãe está mais calma e relaxada, isso pode afetar positivamente o ambiente uterino.

A massagem pré-natal pode estimular a liberação de endorfinas, os analgésicos naturais do corpo, que podem melhorar o humor e criar uma sensação de bem-estar tanto na gestante quanto no bebê.

A massagem melhora a circulação sanguínea, garantindo um fornecimento adequado de oxigênio e nutrientes para o bebê em desenvolvimento.

Muitas gestantes relatam que a massagem as ajuda a dormir melhor. O sono adequado é essencial para o bem-estar tanto da gestante quanto do bebê.

A massagem oferece apoio emocional à gestante, ajudando-a a se sentir cuidada e apoiada durante a gravidez.

A massagem pré-natal pode ser uma oportunidade para a gestante se conectar emocionalmente com o bebê enquanto acaricia a barriga e se concentra na experiência da gravidez.

Massagem pré-natal previne as cãibras do trabalho de parto

A massagem pré-natal não previne diretamente as cãibras durante o trabalho de parto, pois as cãibras durante o trabalho de parto estão relacionadas principalmente às contrações uterinas e ao processo natural do parto. Aqui estão algumas maneiras pelas quais a massagem pode ser benéfica durante o trabalho de parto:

A massagem pré-natal pode relaxar os músculos das costas, da lombar e da região pélvica, reduzindo a tensão muscular que pode contribuir para o desconforto.

A massagem ajuda a promover o relaxamento geral, o que pode tornar o trabalho de parto mais tolerável. Isso pode ser especialmente útil durante as contrações.

 

Massagem pré-natal evita varizes, estrias e celulite do parto

A massagem pré-natal não pode evitar diretamente o desenvolvimento de varizes, estrias ou celulite durante a gravidez ou o parto. No entanto, a massagem pode ter benefícios indiretos para a saúde da pele e a circulação sanguínea, que podem ajudar a minimizar essas condições em certa medida:

A massagem pode estimular a circulação sanguínea, o que pode ajudar a prevenir o acúmulo de sangue nas veias, reduzindo assim o risco de desenvolvimento de varizes.

Massagem pré-natal ajuda no sono da gestante

Sim, a massagem pré-natal pode ajudar a melhorar a qualidade do sono da gestante durante a gravidez. Aqui estão algumas maneiras pelas quais a massagem pode contribuir para um sono melhor durante a gravidez e, por conseguinte, para o preparo para o trabalho de parto:

A massagem promove o relaxamento profundo dos músculos e do sistema nervoso, o que pode ajudar a diminuir a ansiedade e o estresse, facilitando o sono.

Muitas gestantes experimentam desconforto físico, como dores nas costas, nas pernas ou na região lombar. A massagem pode aliviar esse desconforto, tornando mais fácil encontrar uma posição confortável para dormir.

A massagem pré-natal ajuda a reduzir a tensão muscular, o que pode aliviar a sensação de rigidez e melhorar o conforto na cama.

A gestação é um momento de mudanças físicas e emocionais significativas. A massagem pode ser uma maneira eficaz de aliviar o estresse, facilitando o sono.

A massagem pré-natal pode reduzir o risco de parto prematuro

Não há evidências científicas que sugiram que a massagem pré-natal possa reduzir diretamente o risco de parto prematuro. O parto prematuro é uma condição complexa que pode ser causada por uma variedade de fatores, incluindo infecções, problemas de saúde subjacentes, histórico de parto prematuro, etc. Entenda:

A massagem pode ser benéfica para o bem-estar geral da gestante e pode desempenhar um papel no gerenciamento do estresse e do desconforto durante a gravidez. O estresse crônico pode ter um impacto negativo na saúde durante a gravidez, e reduzir o estresse pode ser benéfico para a gestante e o bebê. Além disso, a massagem pode ajudar a aliviar dores e desconfortos musculares e melhorar o relaxamento.

 

A massagem pré-natal é a melhor para o trabalho de parto?

Durante o trabalho de parto, a massagem pode ser uma técnica útil para aliviar o desconforto e proporcionar relaxamento à gestante. No entanto, é importante que a massagem seja realizada com técnicas específicas adaptadas para o trabalho de parto. Aqui estão algumas das melhores massagens para o trabalho de parto:

Drenagem linfática ou massagem pré-natal para o trabalho de parto

A drenagem linfática é uma técnica de massagem que se concentra em estimular o sistema linfático. A massagem pré-natal tem benefícios para o bem-estar geral da mamãe na gestação. Entenda se a drenagem linfática ou a massagem pré-natal é ideal para o parto:

Drenagem linfática para parto


Durante o trabalho de parto não é indicada realizar a drenagem linfática, mas durante a gestação ela pode promover o relaxamento e proporcionar conforto à gestante, principalmente para aliviar inchaços e promover relaxamento.

É na drenagem linfática que a massagem pré-natal se baseia.

 

Massagem com óleos essenciais ou massagem pré-natal para o parto?

A massagem com óleos essenciais e a massagem pré-natal pode ser uma adição relaxante e reconfortante ao trabalho de parto, desde que seja realizada com cuidado e sob a orientação adequada. Aqui estão algumas considerações para escolher a massagem com óleos essenciais ou a massagem pré-natal:

Aromaterapia para parto


Os óleos essenciais podem ser escolhidos com base nas necessidades e preferências da gestante, mas é importante garantir que sejam seguros para uso durante a gravidez e o parto.

É possível associar a aromaterapia durante a aplicação da massagem pré-natal unindo ambas técnicas.

Alguns óleos são seguros para uso na gravidez, outros devem ser evitados. Óleos essenciais como lavanda, camomila romana e ylang-ylang são geralmente considerados seguros e podem ser escolhas populares para massagens de relaxamento durante o trabalho de parto.

Os óleos essenciais devem ser diluídos em um óleo transportador, como óleo de amêndoas, óleo de coco ou óleo de jojoba, antes de serem aplicados na pele. A diluição adequada é essencial para evitar irritações na pele.

É importante estar ciente de que a sensibilidade ao odor e aos produtos químicos pode aumentar durante a gravidez. Portanto, é aconselhável usar óleos essenciais com moderação e garantir que a gestante não tenha reações adversas.

Shiatsu, acupressão ou massagem pré-natal para o parto

O shiatsu e a acupressão são técnicas terapêuticas que envolvem a aplicação de pressão em pontos específicos do corpo para aliviar a tensão, e o desconforto, e a massagem pré-natal traz relaxamento e alívio de inchaços. Aqui estão algumas informações para escolher estas massagens para o parto:

Shiatsu e acupressão para parto

O Shiatsu é uma terapia japonesa que envolve pressão com os dedos, as mãos e os polegares em pontos específicos do corpo. Durante o trabalho de parto, o Shiatsu pode ser usado para aliviar a tensão muscular nas costas, nas pernas e na região lombar, áreas frequentemente afetadas pelo desconforto durante as contrações.

A aplicação da pressão deve ser gentil e adaptada às necessidades da gestante, levando em consideração sua sensibilidade e conforto. Um terapeuta de Shiatsu treinado em massagem pré-natal ou com experiência em trabalhar com gestantes pode fornecer a técnica de forma segura e eficaz.

A acupressão é uma técnica que envolve a aplicação de pressão em pontos específicos de acupuntura ao longo das linhas de energia do corpo, conhecidas como meridianos. Durante o trabalho de parto, a acupressão pode ser usada para aliviar a dor, promover o relaxamento e estimular o processo de parto.

Alguns pontos de acupressão que podem ser úteis durante o trabalho de parto incluem o ponto Hegu (localizado entre o polegar e o indicador) para alívio da dor e o ponto Sanyinjiao (localizado na parte interna da perna) para estimular as contrações uterinas. Como com o Shiatsu, é importante que a acupressão seja realizada por alguém com conhecimento e experiência em acupressão pré-natal.

massagem pré-natal como vimos combina movimentos suaves para relaxamento, alívio de dores e desconfortos.

Lembrando que a escolha de usar o Shiatsu, a acupressão ou qualquer outra técnica de massagem durante o trabalho de parto deve ser discutida com a equipe de saúde da gestante e ser adaptada às necessidades e preferências individuais. A gestante também deve estar sob a supervisão de profissionais de saúde durante o trabalho de parto para garantir um parto seguro e saudável.



Acupuntura ou massagem pré-natal para parto? Qual a melhor?

A acupuntura é uma terapia que envolve a inserção de agulhas finas em pontos específicos do corpo para estimular a circulação de energia (chamada de "Qi"), já a massagem pré-natal traz movimentos suaves para alívio de desconfortos da gravidez. Entenda qual a melhor como complemento ao trabalho de parto:

acupuntura para parto

A acupuntura pode ser usada para aliviar a dor associada às contrações durante o trabalho de parto. As agulhas são inseridas em pontos específicos que são conhecidos por terem propriedades analgésicas e relaxantes.

Em algumas situações, a acupuntura pode ser usada para estimular as contrações uterinas, especialmente quando o trabalho de parto está progredindo lentamente.

A acupuntura pode ajudar a gestante a relaxar e reduzir o estresse e a ansiedade que podem acompanhar o trabalho de parto.

A acupuntura pode contribuir para o bem-estar geral da gestante, estimulando a circulação de energia e ajudando a criar um estado mental mais equilibrado e relaxado.

Esta técnica pode ser combinada com a massagem pré-natal para promover ainda mais relaxamento e assim preparar a gestante para o parto de maneira saudável.

Antes de optar pela acupuntura durante o trabalho de parto, é aconselhável que a gestante discuta essa opção com sua equipe de saúde, que pode fornecer orientações específicas com base em sua situação individual. A acupuntura não é apropriada para todas as gestantes, e seu uso deve ser considerado caso a caso. É fundamental que a gestante esteja sob a supervisão de profissionais de saúde durante o trabalho de parto para garantir um parto seguro e saudável

AGENDA ACUPUNTURA EM CASA >>

Como fazer massagem pré-natal caseira para trabalho de parto

Realizar uma massagem pré-natal caseira para auxiliar no trabalho de parto pode ser uma maneira eficaz de aliviar o desconforto e promover o relaxamento. Aqui estão algumas etapas e informações essenciais para você fazer uma massagem caseira durante o trabalho de parto:

 

Posso fazer auto massagem pré-natal para trabalho de parto?

Você pode fazer auto massagem pré-natal para auxiliar no alívio do desconforto durante o trabalho de parto, mas é importante fazê-lo com cuidado e com movimentos suaves. Aqui estão algumas indicações da auto massagem que podem ser úteis durante o trabalho de parto:

Converse com seu médico obstetra para checar a possibilidade de aplicar a auto massagem e certifique-se de seguir o passo a passo como ensinaremos abaixo.

Passo a passo da massagem pré-natal para trabalho de parto

Aqui está um passo a passo básico para realizar uma massagem pré-natal caseira durante o trabalho de parto. Lembre-se de que cada gestante é única, e é importante adaptar a massagem às necessidades individuais. Certifique-se também de que a gestante esteja sob a supervisão de profissionais durante o trabalho de parto.

Escolha um local tranquilo e confortável para a gestante, com iluminação suave e música relaxante, se desejado. Tenha à mão um óleo de massagem ou loção adequado para a pele da gestante. Certifique-se de que o óleo seja seguro para uso durante a gravidez. Mantenha uma toalha ou lençol limpo à disposição para cobrir a gestante e proteger a cama ou superfície onde ela estará deitada.

A gestante pode se deitar de lado com travesseiros sob a cabeça e entre os joelhos para proporcionar conforto e apoio. Certifique-se de que a gestante esteja bem posicionada e confortável antes de iniciar a massagem.

A região lombar frequentemente precisa de atenção durante o trabalho de parto. Massageie suavemente essa área usando movimentos circulares.

Massageie as pernas da gestante para aliviar a tensão muscular. Comece pelos pés e vá subindo em direção às coxas.

Massageie as mãos e os pés da gestante, prestando atenção aos dedos e às palmas das mãos.

Durante a massagem, incentive a gestante a praticar técnicas de respiração profunda para promover o relaxamento. Fale com calma e tranquilidade para ajudar a criar um ambiente relaxante.

Lembre-se de que a massagem caseira durante o trabalho de parto é uma forma de apoio emocional e físico e não substitui a assistência médica profissional. A gestante deve estar sob a supervisão de profissionais de saúde durante o trabalho de parto para garantir um parto seguro e saudável. Sempre consulte a equipe de saúde da gestante antes de iniciar qualquer técnica de massagem durante o trabalho de parto.

Principais pontos de massagem para ajudar o trabalho de parto

A acupressão pode ser uma técnica eficaz para ajudar o trabalho de parto. Aqui estão alguns dos principais pontos de acupressão que podem ser estimulados para promover o trabalho de parto. Lembre-se de que deve ser feito com cuidado e sob a supervisão de um profissional de saúde:

Ponto Hegu (LI4), este ponto está localizado entre o polegar e o indicador, na parte carnuda da mão. A estimulação do Ponto Hegu é frequentemente usada para aliviar a dor durante o trabalho de parto e promover as contrações uterinas.

Ponto Zusanli (ST36), este ponto está localizado abaixo do joelho, na parte externa da perna. A estimulação do Ponto Zusanli pode ajudar a fortalecer as contrações e proporcionar alívio da dor durante o trabalho de parto.

Ponto Guanyuan (CV4), este ponto está localizado na parte inferior do abdômen, cerca de três dedos abaixo do umbigo. A estimulação do Ponto Guanyuan pode ajudar a promover as contrações uterinas.

Lembrando que a acupressão deve ser realizada com cuidado e deve ser adaptada às necessidades e preferências da gestante. Antes de utilizar a acupressão durante o trabalho de parto, é importante discutir esse plano com a equipe de saúde da gestante para obter orientações específicas com base na situação individual. A acupressão deve ser usada como complemento à assistência médica profissional durante o trabalho de parto

Dicas de massagem massagem pré-natal para trabalho de parto

Aqui estão algumas dicas para realizar uma massagem pré-natal caseira para auxiliar no trabalho de parto. Lembre-se de que a massagem deve ser feita com cuidado e adaptada às necessidades e preferências da gestante. Confira agora todas as principais indicações e siga conforme recomendações de seu profissional:

Use um óleo de origem vegetal para massagear as costas

Utilizar um óleo de origem vegetal, como óleo de amêndoas, óleo de coco ou óleo de jojoba, para massagear as costas durante o trabalho de parto pode ser uma excelente escolha. Aqui estão algumas dicas para usar óleo de origem vegetal para massagear as costas durante o trabalho de parto:

Certifique-se de que o óleo seja puro, de qualidade e seguro para uso na pele sensível da gestante. Verifique o rótulo do produto para garantir que não contenha ingredientes potencialmente irritantes ou alergênicos.

Para tornar a massagem mais confortável, aqueça o óleo antes de aplicá-lo nas costas da gestante. Você pode fazer isso aquecendo uma pequena quantidade de óleo em um recipiente à prova de calor ou esfregando-o entre as mãos até que fique morno.

Comece a aplicação do óleo de forma suave e gentil. Use movimentos longos e firmes, massageando as costas da gestante de acordo com sua preferência. Este é um momento de relaxamento e alívio de tensões, por isso, evite aplicar muita pressão, a menos que a gestante solicite.

Experimente diferentes técnicas de massagem, como movimentos circulares, de amassamento e alongamentos suaves. Varie os movimentos para proporcionar uma sensação agradável e relaxante.

Preste atenção às áreas que parecem mais tensas ou doloridas, como a região lombar, e dedique mais tempo e atenção a essas áreas, se necessário.

Durante a massagem, comunique-se com a gestante para entender suas necessidades e preferências. Pergunte sobre a pressão, a área de foco e a intensidade desejada.

Se sentir que o óleo está sendo absorvido rapidamente, não hesite em aplicar mais. O óleo ajuda a evitar o atrito e proporciona uma massagem mais suave.

Aqueça as mãos para não massagear com as mãos frias

Aquecer as mãos antes de iniciar uma massagem é uma ótima prática, pois mãos frias podem ser desconfortáveis para a gestante e podem dificultar a capacidade de relaxar durante a massagem. Aqui estão algumas maneiras de aquecer as mãos antes de realizar uma massagem:

Uma maneira simples de aquecer as mãos é esfregá-las vigorosamente uma na outra por cerca de 30 segundos. Isso gera calor por fricção.

Lave as mãos com água morna antes de iniciar a massagem. Isso pode aquecê-las gradualmente.

Se você tiver uma toalha úmida disponível, você pode aquecê-la no micro-ondas por alguns segundos e, em seguida, usá-la para secar e aquecer suas mãos.

Alguns aquecedores de mãos descartáveis estão disponíveis no mercado. Eles podem ser ativados agitando ou apertando, e depois podem ser colocados nas mãos para aquecê-las.

Comece a massagem com movimentos suaves de aquecimento nas costas da gestante usando suas mãos aquecidas.

Massageie com toque intenso e circular durante as contrações

Durante as contrações, a massagem pode ser uma técnica eficaz. No entanto, é importante adaptar a massagem de acordo com a preferência da gestante. Se a gestante preferir uma massagem com toque intenso e circular durante as contrações, você pode seguir estas diretrizes:

Sempre pergunte à gestante sobre suas preferências antes e durante a massagem. Algumas gestantes podem preferir um toque mais suave, enquanto outras podem gostar de pressão mais intensa. Esteja disposto a adaptar sua técnica de acordo com suas necessidades.

Durante as contrações, você pode aplicar movimentos circulares firmes nas áreas que a gestante prefira. Isso pode incluir as costas, a região lombar, as pernas ou outras áreas onde ela esteja sentindo desconforto.

Preste atenção às áreas onde a gestante está sentindo mais tensão ou dor. Concentre-se nessas áreas ao aplicar a massagem com movimentos circulares intensos.

Esteja atento aos sinais da gestante e respeite seus limites. Se ela pedir para parar a massagem ou reduzir a intensidade, faça isso imediatamente.

Além da massagem, ofereça apoio emocional à gestante. Mantenha uma comunicação aberta, encoraje-a a respirar profundamente e lembre-a de que você está lá para apoiá-la.

Lembre-se de variar a técnica ao longo do tempo para evitar a monotonia e ajudar a gestante a relaxar. Você pode alternar entre movimentos circulares, de amassamento e alongamentos suaves.

No intervalo das contrações, massageie os ombros, pernas e pés 

Massagear os ombros, pernas e pés no intervalo entre as contrações pode ser uma maneira eficaz de proporcionar alívio e conforto à gestante durante o trabalho de parto. Essa técnica pode ajudar a relaxar a gestante e aliviar a tensão muscular. Aqui estão algumas diretrizes:

Antes de iniciar a massagem, comunique-se com a gestante para entender suas preferências. Pergunte sobre a pressão, a área de foco e a intensidade desejada.

Comece pela massagem dos ombros. Use movimentos suaves, como amassamento e deslizamento, para aliviar a tensão nessa área. Concentre-se nas áreas onde a gestante sente mais tensão e desconforto.

Depois de massagear os ombros, passe para as pernas. Massageie as coxas e panturrilhas com movimentos circulares ou de amassamento, usando a quantidade de pressão que a gestante preferir. Trabalhe lentamente das coxas em direção aos tornozelos.

Termine a massagem massageando os pés da gestante. Os pés podem ficar especialmente cansados durante o trabalho de parto. Use movimentos suaves e circulares para massagear a planta dos pés, os calcanhares e os dedos

Varie os tipos de movimentos ao longo da massagem para proporcionar uma experiência relaxante e agradável.

Cuidados no tratamento de massagem pré-natal

O tratamento de massagem pré-natal requer cuidados especiais devido às necessidades e sensibilidades da gestante. Alguns cuidados essenciais a serem observados ao realizar uma massagem pré-natal são de terapeuta qualificado, técnica apropriada, materiais higienizados, toque sutil e cuidadoso, além da liberação médica.

Qual o perigo da massagem pré-natal para o parto

A massagem pré-natal para o parto, quando realizada por um terapeuta de massagem qualificado e em conformidade com as diretrizes de segurança, geralmente é considerada segura durante a gravidez. No entanto, existem algumas situações em que a massagem pré-natal pode apresentar riscos. É importante levar em consideração esses fatores de segurança:

Se a gestante tiver complicações médicas específicas, como pré-eclâmpsia, placenta prévia, sangramento vaginal, risco de parto prematuro, entre outros, a massagem pré-natal pode não ser apropriada. Em casos de complicações, é essencial que a gestante discuta com seu obstetra antes de receber qualquer tipo de massagem.

Certifique-se de que o terapeuta de massagem seja qualificado e tenha experiência em massagem pré-natal. Terapeutas sem a devida formação podem não estar cientes das precauções necessárias.

Quais os efeitos colaterais da massagem pré-natal para o parto

Quais os efeitos colaterais da massagem pré-natal para o parto? Para receber a massagem para o trabalho de parto precisamos antes saber se a prática tem efeitos colaterais. Conheça agora se há possíveis efeitos colaterais com a técnica de massagem para trabalho de parto:

Na verdade, a massagem para o parto não possui efeitos colaterais ao ser aplicada por um massagista especialista.

Vou sentir dor durante a sessão de massagem pré-natal para parto?

Vou sentir dor durante a sessão de massagem pré-natal para parto? Será que você vai sentir dor durante a prática da sessão de massagem para o trabalho de parto? Por que alguns pontos do corpo ao receber as manobras de massagem não sofrem dor e outros sim?

É normal sentir leve dor ao receber a massagem para o parto. Como os pontos estimulados refletem o estado do ponto relacionado do corpo podemos sentir dor, mas bem leve e nada insuportável

Quantas sessões de massagem pré-natal para ajudar no trabalho de parto?

Quantas sessões de massagem pré-natal para ajudar no trabalho de parto? São necessárias quantas sessões para obter o resultado da massagem para o parto? Na maioria dos tratamentos, as recomendações de frequência são únicas para cada caso. Quem irá fazer essa indicação é o massoterapeuta especialista. Mas, há indicações gerais:

Geralmente o recomendado é receber de 2 a 3 sessões da técnica de massagem toda semana, por 3 meses. Em geral o ideal é de pelo menos 2 sessões por semana.

Alguns casos mais agravados podemos precisar de mais sessões, chegando até 3 por semana, com espaçamento ideal entre uma aplicação e a outra, de 2 dias completos.

Quem poderá indicar a frequência é o médico responsável. 

Quantas vezes por semana fazer massagem pré-natal para o parto?

Quantas vezes por semana fazer massagem pré-natal para o parto? Para entender quantas vezes devemos fazer massagem para ajudar no trabalho de parto, o médico e o massagista deverá fazer as indicações. Ainda assim, no geral, a técnica deve ser aplicada de 5 a 10 sessões. Entenda melhor:

Cada sessão de massagem deve durar em torno de 60 minutos. A prática também deve ser realizada de 2 a 3 vezes por semana, com espaçamento de 2 dias entre cada uma. Ou seja, dia sim, dia não, para que o corpo descanse e os efeitos da técnica reverberem na horas seguintes de cada aplicação.

 

Restrições e contraindicações da massagem pré-natal para trabalho de parto

A massagem pré-natal para trabalho de parto pode ser uma técnica benéfica para algumas gestantes, mas também existem situações em que ela deve ser evitada ou usada com extrema cautela. Aqui estão algumas restrições e contraindicações para a massagem durante o trabalho de parto:

Se a gestante tiver complicações médicas graves, como pré-eclâmpsia, eclâmpsia, placenta prévia, sangramento vaginal excessivo, risco de parto prematuro ou outras condições médicas graves, a massagem durante o trabalho de parto pode ser contraindicada. Nessas situações, é fundamental que a gestante siga as orientações do obstetra.

Se houver risco de infecção, como ruptura prematura da bolsa amniótica com evidência de infecção, a massagem deve ser evitada, pois poderia introduzir bactérias na área uterina.

A gestante pode desenvolver alergias ou sensibilidades a óleos de massagem ou loções durante a gravidez. Certifique-se de que qualquer produto usado seja seguro para ela.

Se a gestante tiver pressão arterial elevada não controlada ou outras condições cardiovasculares graves, a massagem deve ser evitada ou realizada com muita cautela para não aumentar a pressão arterial.

Se a gestante tiver fatores de risco para TVP, como história prévia de TVP, obesidade mórbida ou outras condições médicas que aumentam o risco de coágulos sanguíneos, a massagem nas pernas deve ser evitada, pois pode aumentar o risco de trombose.

Se a gestante tiver um plano de parto específico que exclui a massagem ou outras intervenções, é importante respeitar suas preferências e diretrizes.

Durante o trabalho de parto ativo, a gestante pode estar focada nas contrações e não desejar a massagem. Nesse caso, respeite seus desejos e não insista na massagem se ela não quiser.

Sempre é aconselhável que a gestante consulte seu obstetra ou equipe médica antes de receber qualquer forma de tratamento de massagem durante o trabalho de parto.

É essencial que a gestante e o terapeuta de massagem discutam todas as condições médicas e preocupações antes de iniciar qualquer tratamento de massagem durante o trabalho de parto. A segurança da gestante e do bebê deve ser prioridade, e a massagem deve ser adaptada às necessidades e condições individuais da gestante. Em casos de dúvida, sempre consulte um profissional de saúde para orientação.

 

O massagista é capacitado para aplicar massagem pré-natal para parto?

O massagista é capacitado para aplicar massagem pré-natal para parto? Indicamos que você passe em acompanhamento com um massoterapeuta especialista em dor muscular. Com um diagnóstico, ele poderá indicar os tratamentos. Neste caso, será que o massagista seria um dos profissionais capacitados para tratamento de dor?

Caso seja indicado a massagem para parto, o profissional precisa de certificado de formação como massoterapeuta em alguma instituição especializada e ainda estar registrado em algum órgão de classe. 

Perfil de massagista recomendado para massagem pré-natal para parto

Perfil de massagista recomendado para massagem pré-natal para trabalho de parto: o ideal é que seja especializado e formado em massoterapia em alguma instituição para que seu tratamento seja correto, completo, seguro e para que não haja complicação ou reação. Veja melhor:

É necessário para os atendimentos com a técnica de massagem, que o profissional tenha formação completa em massoterapia e experiência ambulatorial com a prática, atestada com certificado, antes de realizar qualquer atendimento.

Onde fazer massagem pré-natal para trabalho de parto? 

As principais capitais do país são bem servidas de estabelecimentos de massagem e também contam com terapeutas especializados atendendo a domicílio. Mas antes de agendar, se atente a alguns cuidados importantes para a segurança e efetividade de sua massagem pós cirurgia na barriga: 

Antes de mais nada, caso sua dor seja crônica ou persista por algum tempo é importante consultar com o seu médico antes de agendar o seu atendimento. 

Em todos casos, é recomendado realizar o seu atendimento sempre com massoterapeutas com formação especializada para o seu conforto e segurança, além de garantir um atendimento mais efetivo. 

A forma mais tradicional de se encontrar um estabelecimento ou massoterapeuta especializado é por indicação. Nestes casos é importante checar as credenciais do profissional que irá te atender, e validar que possui formação técnica e experiência ambulatorial, pois muitos dos estabelecimentos ou profissionais particulares que oferecem este tipo de atendimento carecem de formação especializada.  

Recentemente uma outra alternativa de agendamento vem se popularizando, que é o agendamento por aplicativo especializado, onde o atendimento normalmente ocorre à domicílio. Mas também é necessário atenção especial ao perfil do terapeuta que irá realizar o seu atendimento.  

Abaixo você encontra dicas importantes sobre cada alternativa de agendamento, diferença de preços e perfis de terapeutas para ajudar na sua decisão.

 

Onde encontrar massagista especializado em massagem pré-natal para trabalho de parto? 

Sabemos que não é fácil encontrar um massagista especializado em massagem para trabalho de parto, e, muito importante, que tenha agenda para te atender. Seja numa clínica especializada, spa ou massagem a domicílio. Listamos algumas dicas importantes para te ajudar na sua escolha.

Clínicas e spas com atendimentos de massagem pré-natal para trabalho de parto

Clínicas e spas com atendimentos de massagem pré-natal para trabalho de parto. As clínicas especializadas geralmente têm uma grande preocupação na seleção dos profissionais que atendem no local, o que garante um bom nível do atendimento na maioria das vezes. 

Normalmente as clínicas são especializadas em algum tipo de massagem, seja ela terapêutica, estética ou relaxante. Algumas clínicas se especializam em atendimentos mais delicados, como por exemplo massagem para gestantes e outros casos terapêuticos mais delicados, com profissionais capacitados e experientes nestes tipos de atendimento.  

Os valores, entretanto, podem ser inacessíveis para a maioria de nós, uma vez que as clínicas e spas retém por volta de 70 a 90% do valor pago pelo atendimento e o seu terapeuta com apenas 10 a 30% do valor. Em contrapartida a maioria dos estabelecimentos oferece, junto a drenagem linfática , um ambiente e algumas cortesias que valorizam toda experiência.

Atendimentos particulares de massagem pré-natal para trabalho de parto

Atendimentos particulares de massagem pré-natal para trabalho de parto. Muitos recorrem a indicações de massagistas por amigos, familiares, ou mesmo anúncios pela internet, para poder realizar o seu atendimento sem estourar o orçamento. Mas alguns cuidados são essenciais para o seu conforto e segurança.

Nestes casos é muito importante validar as qualificações do profissional, pois a realização de alguns tipos de drenagem linfática por profissionais sem a devida qualificação pode gerar risco ao seu bem-estar e saúde. Vale um cuidado especial para quem tem condições pré-existentes de saúde e para atendimentos que demandem de cuidados especiais, tais como massagem para gestantes e outros casos terapêuticos mais delicados.   

Além disto, não é sempre fácil encontrar um massagista especializado, com atendimento diferenciado, de confiança e que tenha agenda disponível para realizar a sua massagem quando você precisar.

Aplicativos especializados em massagem pré-natal para trabalho de parto

Mulher recebendo massagem nas costas

Nos últimos anos os aplicativos de massagem vêm se tornando rapidamente uma alternativa importante de agendamento.

Além da comodidade de ser atendido em casa, os aplicativos normalmente oferecem a garantia de disponibilidade de um profissional qualificado e valores acessíveis, o que explica o grande crescimento desta alternativa de agendamento. 

Assim como as clínicas, os aplicativos normalmente também são especializados em algum tipo de atendimento, seja ele terapêutico, estético, relaxante ou atendimentos especializados, como massagem para gestantes e outros casos terapêuticos mais delicados.

Mas, por se tratar de um atendimento pessoal e realizado em casa, antes de agendar é importante se atentar aos protocolos de segurança, de seleção dos terapeutas e da confiabilidade do aplicativo.

E também é importante validar que a sua massagem será realizada por um terapeuta devidamente qualificado, em especial para atendimentos que demandem de cuidados especiais, ou para pacientes que tenham alguma restrição médica para atendimento, para evitar riscos a sua saúde, bem-estar e segurança.

 

Como agendar massagem pré-natal para trabalho de parto a domicílio?

Aplicativos de massagem oferecem a comodidade de atendimento em casa e, na maioria dos casos, a garantia de disponibilidade de um massoterapeuta qualificado para o seu atendimento. O agendamento normalmente é simples e os valores acessíveis. Mas alguns cuidados são importantes para sua segurança e bem-estar.

Por se tratar de um atendimento de cunho pessoal e realizado em casa é importante considerar algumas questões para garantir a sua segurança e bem-estar:

Como é feita a seleção dos massagistas do aplicativo? 

O aplicativo de fato realiza uma seleção dos massoterapeutas, validando suas qualificações, experiência, formação, condições precedentes, etc.? Realiza teste presencial com todos os candidatos? Tem parceria com as principais escolas de formação em massoterapia para seleção dos profissionais? Ou é um processo automático que basta se cadastrar para atender?

O aplicativo tem protocolos de segurança para os atendimentos de massagem?

Os protocolos de segurança estão devidamente informados, de forma clara e transparente? Eles são abrangentes e garantem a proteção e segurança tanto dos clientes como dos terapeutas? O site e o(a) terapeuta seguem de fato tais protocolos? Você pode cancelar sem custo se não se sentir confortável?

Sua massagem pré-natal será feita por massagista devidamente qualificado?

O aplicativo solicita a sua ficha de anamnese antes de confirmar o(a) massagista para o seu atendimento? É fornecida comprovação pré-atendimento de que o(a) terapeuta que irá realizar sua massagem é devidamente qualificado para te atender? Você pode cancelar sem custo se não se sentir confortável?

A In Good Hands leva muito a sério atendimentos a domicílio, em especial os atendimentos que requerem cuidados específicos. Todos os cuidados acima são obedecidos a cada atendimento, e muitos outros, para garantir a qualidade e segurança dos atendimentos para todos: clientes e terapeutas.

Por isto selecionamos para você alguns massoterapeutas especializados em massagem para trabalho de parto e que atendem pela In Good Hands e pelas principais clínicas e spas nas Cidades de São Paulo e Rio de Janeiro:

Terapeuta - Yevelize F - In Good Hands

Massoterapeuta 3 estrelas

Terapeuta - Adriana K - In Good Hands

⭐⭐

Massoterapeuta 4 estrelas

Terapeuta - Adriana V - In Good Hands

 ⭐⭐⭐

Massoterapeuta 5 estrelas

 

A classificação (estrelas) das clínicas e spas foi feita de acordo com os critérios de classificação dos terapeutas que trabalham nestes estabelecimentos e que também atendem a domicílio pela In Good Hands.

 

Qual é o valor de massagem pré-natal para trabalho de parto?

Os preços de massagem pré-natal para trabalho de parto podem variar por conta do estabelecimento e do perfil do massagista. Detalhamos no post cuidados importantes a serem tomados para a segurança do seu atendimento e explicamos abaixo as principais diferenças dos preços cobrados para massagens.

Os principais fatores da diferença de preço são a localização, o tipo de estabelecimento (incluindo amenidades e ambiente oferecido), e, principalmente, o perfil dos profissionais que atendem no local.

Como a massagem pode ser um atendimento delicado, para o seu conforto e segurança, é importante o acompanhamento médico, em especial para os casos crônicos, e a seleção de um profissional especializado neste tipo de atendimento, com formação e experiência ambulatorial específica.

Dessa maneira, os preços listados são para atendimentos apenas com terapeutas especializados pois não recomendamos a realização deste tipo de atendimento com terapeuta sem especialização.  

Resumo dos valores cobrados para atendimento de 1 hora de shiatsu por perfil de terapeuta:

⭐⭐⭐ Massagem pré-natal para trabalho de parto- 3 estrelas 

Perfil do massagista: normalmente profissionais que finalizaram o curso de formação técnica recentemente (até 3 anos) ou que, em alguns casos, carecem de formação técnica (não recomendado).

Tipos de estabelecimento mais comum: clínicas de bairro, salões de beleza e maioria dos aplicativos de massagem.

Valores cobrados (faixa):

R$ 130,00 - R$ 180,00

Desconto de até 23%. na In Good Hands para atendimento de mesmo nível. Ver preços.

⭐⭐⭐⭐ Massagem pré-natal para trabalho de parto - 4 estrelas 

Perfil do massagista: normalmente profissionais com 4 a 7 anos de experiência prática após sua formação técnica e que são versados em diferentes técnicas de atendimento. 

Tipos de estabelecimento mais comum: principais redes de clínicas de bem-estar.

Valores cobrados (faixa):

R$ 180,00 - R$ 250,00

Desconto de até 45% na In Good Hands para atendimento de mesmo nível. Ver preços.

⭐⭐⭐⭐⭐ Massagem pré-natal para trabalho de parto - 5 estrelas 

Perfil do massagista: normalmente profissionais com mais de 10 anos de experiência prática, bem estabelecidos em suas clínicas ou como professores. Domínio de diversas técnicas e atendimentos holísticos.  

Tipos de estabelecimento mais comum: clínicas e spas de alto nível, day spas de luxo e principais hotéis 5 estrelas.

Valores cobrados (faixa):

R$ 332,00 - R$ 580,00

Desconto até 67% na In Good Hands para atendimento de mesmo nível. Ver preços.

 

Os valores acima foram calculados com base em pesquisa de preços trimestral e com base nos critérios de classificação da In Good Hands, usados na seleção dos seus massoterapeutas, que também atendem nas principais clínicas e spas das Cidades de São Paulo e Rio de Janeiro.  

 

Logo In Good Hands e imagem das mãos do massoterapeuta nas costas do paciente

Agora você sabe mais sobre as indicações e contraindicações da massagem pré-natal para trabalho de parto. O próximo passo é falar com seu médico ou profissional de saúde mental e solicitar as recomendações específicas para você e a liberação para que a técnica seja aplicada com toda segurança.

  

 ---

Logo In Good Hands

 

Quem somos nós? Somos a In Good Hands, o seu spa 5 estrelas para curtir no conforto e segurança de casa. Saiba mais >>  

✅ Terapeutas das principais clínicas e spas.

✅ No conforto e segurança de casa.

✅ Protocolos de segurança.

Massagens  |  Atendimentos online  |  Como funciona  |  Preços  |  Planos  |  Empresas  |  Protocolos de segurança